Postagens

O nome do blog "Vidasemvoltas" mudou para Japão Cultura e Turismo

Kawadoko, os restaurantes sobre rios em Kyoto

Imagem
Não é novidade que o calor no verão do Japão é infernal.
Talvez por isso, muitos pensem em deixar de fazer turismo em Kyoto, no verão. A cidade é cercada por montanhas, portanto menos vento; é uma das cidades mais quentes do Japão e com alto índice de umidade.
Não se preocupe, você pode continuar fazendo seu turismo, conhecendo a refrescante tradição de Kyoto durante o verão.
Além de apreciar os famosos festivais que acontecem nesta época do ano, é também curtir as delícias às margens de rios e cascatas, através de bares e restaurantes que se formam ao longo deles.
Existem 2 maneiras tradicionais charmosas, uma delas é Noryo Yuka - foto acima - e a outra - foto abaixo - , assunto desta postagem: Kawadoko.
Os mais famosos Kawadoko - alguns chamam de Kawayuka - são encontrados em Kibune, nas imediações de Kifune Jinja.
Kibune é um vilarejo localizado em um vale íngreme e refúgio de verão dos moradores de Kyoto.



A região é cercada pela natureza, favorecida pelo rio Kibune formando cascatas e os…

Kakogawa, Hyogo, e a coirmandade com Maringá, Paraná

Imagem
Falei sobre coirmandade nesta postagem >>> Cidades coirmãs entre Brasil e Japãoe estou tratando do assunto exclusivamente sobre a troca de monumentos entre duas cidades irmãs.
Existem muitas cidades japonesas e brasileiras que mantém coirmandade e exibem monumentos trocados, em locais públicos movimentados, como os modelos de orelhões brasileiros em Naha, Okinawa, que mantém coirmandade com a cidade de São Vicente que, por sua vez tem um torii, portal xintoísta.
Muitas outras cidades coirmãs exibem essa troca.
Uma das províncias coirmã com muita interação com um estado brasileiro é Hyogo. 
Corimã do estado do Paraná, Hyogo tem 4 cidades mantendo coirmandade, com muita interação.
Himeji é coirmã da cidade de Curitiba, que doou uma lanterna esculpida em pedra, localizada na Praça do Japão. Ainda nesta praça, uma estátua de Buda simboliza a coirmandade.
Sabemos que o Brasil tem muitas obras relacionadas ao Japão, porém encontrar palavras ou objetos que lembrem nosso país, com exceção …

Museu da Emigração Japonesa de Kobe

Imagem
Este foi um dos lugares que visitei e mais me emocionou.
Neste prédio, meus pais e ascendentes de milhares de nipo brasileiros estiveram pela última vez no Japão, antes de partir para o Brasil.
Todos os descendentes nipônicos deveriam visitar este museu, que fora um dia chamado de Centro de Imigração de Kobe, na cidade de Kobe, Hyogo.

Inaugurado em 1928, com o nome de Kokuritsu Imin Shūyōsho que significa Alojamento (ou Hospedaria) Nacional de Imigração de Kobe, foi rebatizado mais tarde, paraIjū kyōyō-sho, Centro Educacional de Emigração, pois o termo Shūyō, em japonês, lembrava prisioneiros de guerra.
Serviu para abrigar os emigrantes que foram para os países das América do Sul, Central e do Norte, mas principalmente para o Brasil, Peru, Colômbia, República Dominicana.
Foi daqui que milhares de japoneses - estima-se em torno de 250 mil - que emigraram para o Brasil, saíram em direção ao Porto de Kobe. Neste local, receberam treinamentos, informações sobre geografia, costumes, cultura e o…

Homenagem aos emigrantes japoneses no Parque Meriken, Porto de Kobe

Imagem
Foi deste porto que, em 1908, 781 famílias partiram rumo ao desconhecido.
Aqui, muitas lembranças são mantidas, pois não pararam nesse número, milhares fizeram essa rota.
O porto já não é mais o mesmo, passou por diversas transformações e foi reconstruído após o terremoto que atingiu a cidade em 1995.
Na área refrescante do parque, num bonito jardim em que famílias frequentam para descansar, sentir a brisa do mar, hoje calma e bela, a merecida homenagem.
Um monumento bonito, construído em 2001, chamado Kōbekō Imin-sen Jōsen Kinenhi, Kobe Port Immigration Board Passenger Memorial, Memorial do Embarque do Navio de Imigrantes do Porto de Kobe, que retrata a coragem e esperança daqueles que tomaram novos rumos.
A estátua de bronze se chama 希望の船出, Kibō no funade, Vela da Esperança.
Em inglês, espanhol e português: Estátua em Homenagem aos Emigrantes do Porto de Kobe.
A placa abaixo cita as emigrações desde 1868, a primeira para o Havaí, 153 pessoas. Em 1869 foi a primeira emigração norte-american…