Postagens

Mostrando postagens de Setembro, 2018

O nome do blog "Vidasemvoltas" mudou para Japão Cultura e Turismo

Por que existem muitos templos e santuários em Kyoto?

Imagem
Kyoto é a cidade que simboliza a cultura japonesa e a característica principal é o grande número de templos e santuários. A área histórica de Kyoto tem poucas fábricas ou negócios, que se pode observar facilmente. Para preservar a aparência geral da cidade histórica, existem códigos de construção rigorosa, com restrições, limitando a altura dos edifícios e mantendo características antigas dos edifícios nos telhados e madeiras escuras, através da Lei de Preservação de Capitais Antigas, promulgada em 1966. Somente na cidade de Kyoto, hoje existem cerca de 800 santuários e 1.700 templos. No entanto, a província de Niigata conta com 5.000 santuários xintoístas e Aichi tem 5.000 t emplos budistas, especialmente em Nagoya, porém, menos famosos. Segundo o site NDL, Aichi tem um total de 8014 santuários e templos, 400 a mais que a província de Niigata, que é o segundo lugar.  Comparando com as províncias de Kyoto (total de 4838 templos e santuários), Tóquio (4335 entre templos e s

Por que existem tantos templos e santuários no Japão?

Imagem
Muitos perguntam por que existem tantos templos e santuários no Japão. Templos   são budistas e  santuários  são  xintoístas. Dizer que  xintoísmo é religião japonesa - ocupando o primeiro lugar - e que o budismo foi trazido da China - estando em segundo lugar -  não é suficiente para definir o grande número desses edifícios. No xintoísmo, os deuses são ancestrais da realeza, portanto, é natural que exista um número grande de santuários xintoístas, como em qualquer país e sua religião predominante.  O budismo, que ocupa o segundo lugar na religião dos japoneses, vem de longa data. Monges budistas vieram da China para propagar a religião no período de Asuka, no ano de 552. Houve reação contrária na introdução do budismo no Japão e a aceitação foi lenta. Passou a se espalhar depois que a Imperatriz Suiko encorajou abertamente a aceitação pelo povo japonês.  No período Heian, quando a capital foi transferida de Nara para Kyoto, os mosteiros tornaram-se centros de poder.