O nome do blog "Vidasemvoltas" mudou para Japão Cultura e Turismo

Por que existem tantos templos e santuários no Japão?

Muitos perguntam por que existem tantos templos e santuários no Japão.
Templos são budistas e santuários são xintoístas.
Dizer que xintoísmo é religião japonesa - ocupando o primeiro lugar - e que o budismo foi trazido da China - estando em segundo lugar -  não é suficiente para definir o grande número desses edifícios.
No xintoísmo, os deuses são ancestrais da realeza, portanto, é natural que exista um número grande de santuários xintoístas, como em qualquer país e sua religião predominante. 
O budismo, que ocupa o segundo lugar na religião dos japoneses, vem de longa data.
Monges budistas vieram da China para propagar a religião no período de Asuka, no ano de 552. Houve reação contrária na introdução do budismo no Japão e a aceitação foi lenta. Passou a se espalhar depois que a Imperatriz Suiko encorajou abertamente a aceitação pelo povo japonês. 
No período Heian, quando a capital foi transferida de Nara para Kyoto, os mosteiros tornaram-se centros de poder.
Embora na era Meiji novas turbulências tenham acontecido contra a propagação do budismo, muitos templos haviam sido construídos. 
Além disso, o budismo foi dividindo em seitas ou escolas, que surgiram adaptando-se às culturas locais, como os principais Zen, Shingon, Tendai, Nichiren, Terra Pura, Tibetano.
De acordo com uma pesquisa da ND, existem nada menos que cerca de 88 mil santuários xintoístas e 77 mil templos budistas, totalizando 165 mil, em todo o Japão. Este número é cerca de 3 vezes mais que o de lojas de conveniências.
No período Edo, o número de templos e santuários no Japão era 5 vezes maior que o de hoje. 
Quem acompanha todas as histórias de templos ou santuários, já percebeu que existem há mais de 1000 anos e foram construídos por um Imperador ou feudal da época e em memória a algum antepassado. Eles eram o símbolo do poder até o período Edo.
Esta é uma forte razão para a existência de tantos santuários e templos no Japão.
Além de serem dedicados ao Imperador ou feudal da época, havia uma intenção como orar por boa colheita, saúde, doenças, etc.
Quando acontecia uma catástrofe e não tivesse um templo ou santuário, era construído com a intenção de orar pela causa.
Templos e santuários são portas de entradas para cerimônias e rituais especiais.
Hoje em dia dedicam-se também à beleza, sorte no casamento, filhos com saúde, formação acadêmica, sorte no amor, inclusive jogos e inúmeros outros.
Tantos os templos budistas como os santuários xintoístas tem idades milenares.
Com o tempo e com o crescimento das aldeias, bairros ou cidades, templos e santuários se ramificaram. 
Atualmente, cada bairro tem seu templo e santuário, onde os fiéis possam orar em por celebrações diversas ou datas específicas para a realização de rituais como Shichigosan, Shuubun e Shunbun no Hi, Obon, Oshogatsu, etc.

Quer saber mais sobre o Japão?
Curta a >>> fanpage
Inscreva-se também no Canal do >>> YouTube
Estamos também no >>> Twitter e no >>> Instagram.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Ameixeira, cerejeira, pessegueiro, quais são as diferenças entre essas flores?

Lenda japonesa: A Tecelã de Nuvens

Onde doar roupas usadas no Japão

Lenda urbana do Japão: garrafas pet com água repelem gatos

Yakudoshi, as idades consideradas perigosas no Japão

Dino Adventure, o Parque de Dinossauros de Nagoya

Diferenças entre nenúfar (suiren) e flor de lotus (hasu)

A arte contada em arte, por Lucille Kanzawa

Shichifukujin, os 7 deuses da sorte do Japão

Guarda-chuvas da amizade, o empréstimo gratuito de guarda-chuvas no Japão