Postagens

Mostrando postagens de Julho, 2015

O nome do blog "Vidasemvoltas" mudou para Japão Cultura e Turismo

Zōfukuji, Fūrin-tera, o templo dos sinos de vento de Odo-chō, Toyota, Aichi

Imagem
Odo-chō é um pequeno distrito de Toyota, em Aichi, que tem o som refrescante do verão. O verão é marcado pela suavidade, sustentabilidade e tradição.  Os beirais das casas e estabelecimentos comerciais de  Odo-chō  se enchem dos sinos de vento, cumprimentando os visitantes, nesta época do ano. Um evento denominado "Yumekake Fūrin", ou "Sonhos Sobre Sinos de Vento", é realizado em meados de julho até o final de agosto. Neste ano de 2015, o festival acontece de 11 de julho a 31 de agosto, das 10h às 20 h. Bares e restaurantes enfeitam suas fachadas com os sinos de vento, para um lanche ou refeição ao som dos fūrin. Os fūrin são vendidos nas lojas, onde podemos encontrar nos mais diversos tipos de materiais, modelos e cores. Clique na imagem para ampliar. Ao caminhar pela estreita e curta rua que leva até ao templo, os suaves sons produzidos pelos diferentes materiais dos sinos se misturam, dando sempre a refrescante sensação.

Fūrin, os sinos de vento do Japão

Imagem
Fūrin, são pequenos sinos de vento feitos geralmente de vidro, usados no verão japonês, cujos sons, considerados refrescantes, amenizam o calor. Como não existiam ventilador ou aparelhos de ar condicionado em tempos antigos, era uma alternativa, além do leque, contra o pegajoso verão japonês. Dizem que os japoneses sentiam um certo clima frio ao ouvir o som destes sinos. Por isso, tornou-se uma tradição no verão japonês. Fūrin é escrito com 2 ideogramas 風 (fū) que significa vento e 鈴 (rin) sino. Com origem na China, que era denominado sentafuku e usado como ferramenta de adivinhação, a partir do som e da direção do vento, foi trazido ao Japão através do budismo. Inicialmente eram feitos de bronze e pendurados em beirais de casas das famílias nobres para afastar maus espíritos; mais tarde, no período Kamakura, eles se popularizaram. Somente no período Edo surgiram os fūrin feitos de vidro, passando a ser chamados de Edo fūrin, cuja pintura é feita no interior do sino para p

Doyo no ushi no hi, o dia de comer enguia, no Japão

Imagem
"Doy ō no ushi no hi" - 土用の丑の日 - embora escrito com um dos caracteres do ideograma japonês - kanji - como o " d o y ōbi" -  土 曜日 - de sábado, não tem esse significado.  Porém tem relação com o ushi, 丑 ou seja, boi ou vaca. É mais um dos costumes sazonais do Japão e t raduzido ao pé da letra como "Dia do boi do pleno (ou meio do) verão".  As estações do ano, no antigo calendário, começavam  em torno  (essas datas variam, conforme o ano) das seguintes datas: primavera = 4 de fevereiro verão = 5 de maio outono = 5 de agosto inverno = 7 de novembro D oy ō - 土用 -  é um período de 18 ou 19 dias que antecede cada estação do ano, seja primavera, verão,  outono, inverno,  do antigo calendário. Neste caso, " D oy ō" significa "período de mudança sazonal". O d oy ō da primavera são os 18 ou 19 dias que antecedem a próxima estação, ou seja, do verão, no dia 17 de abril.  O  d oy ō do verão cai em 18 ou 19 dias que antecedem o outono e

Nakamura Koen, Toyokuni Jinja e o grande torii de Nagoya

Imagem
Este torii, portal xintoísta, medindo 24 m de altura, está localizado próximo ao centro e a poucos minutos da estação central de Nagoya. O enorme portal fica na Torii-d ō ri, interseção com a Taiko-d ō ri, ao lado da saída 3 da estação Nakamura K ō en do metrô   da linha Higashiyama. Construído em 1929, recebendo reparos em agosto de 1993, o enorme portal xintoísta faz parte do santuário denominado Toyokuni Jinja, um local histórico em Nagoya, localizado no Nakamura K ō en.  A alguns metros, atrás do portal está Nakamura K ō en, que também tem um torii na entrada. Nakamura K ō en é um parque com pista para bicicletas, lago, playground,  Toyokuni Jinja e outros pequenos sa ntuários, museu, muitos monumentos e locais históricos.  No lago, monumentos religiosos e muitas tartarugas. As pedras abaixo, em degraus, era uma cascata. Embora não seja confirmado, dizem que o feudal Toyotomi Hideyoshi nasceu na área do parque.  O parque e o santuário são dedicado