O nome do blog "Vidasemvoltas" mudou para Japão Cultura e Turismo

Chinowa Kuguri, ritual de purificação semestral

Verão é tempo de inúmeros festivais. 

Nagoshi no harae, também chamado de Natsu harae, Nagoshi shinji ou rokugatsu harae é um ritual de purificação realizado sempre no último dia do mês de junho.
O ritual consiste em purificar pelos pecados cometidos no primeiro semestre do ano, preparando-se para o segundo.
Paralelo ao feriado de Obon, o Chinowa Kuguri é um ritual de purificação, de origem xintoísta, realizado duas vezes por ano, no fim de cada semestre.
O ritual de dezembro leva o nome de Toshi koshi no harae, "Purificação de véspera de Ano Novo"

Os rituais de purificação - semelhante às bênçãos em igrejas cristãs - são muito populares no Japão. 
Sacerdotes são sempre vistos em residências pelo nascimento de uma criança, em terrenos onde se inicia uma construção, ao realizar compra de bens ou em santuários, realizando missas nas idades consideradas perigosas. 
Temizu é um ritual tem o objetivo de retirar as impurezas (ou pecados) ao adentrar em santuário. 
Outros rituais podem ser em forma de exorcismo, aplicando sal, entre outras.
Chinowa Kuguri é um ritual de purificação de tradição milenar, de origem xintoísta.
O intuito desse ritual é afastar os maus espíritos, orar pela longevidade, prevenir doenças e desastres.
A roda de fogo tem o mesmo sentido de purificação, com uma diferença, não sendo necessário passar 3 vezes pelo Wakuguri.
Embora a tradição envolva o final dos meses de julho e dezembro, muitos rituais são realizados depois das datas, coincidindo com festivais de verão, Tanabata ou de Obon. 
Pequenos círculos para os pais que desejam atravessar  seus bebês ou crianças pequenas, na imagem abaixo.
Muitos santuários realizam o ritual do Chinowa Kuguri, no Japão.
O ritual tem regras e significados. 
É preciso fazer reverência antes e passar 3 vezes pelo arco, sendo do centro e virar para a esquerda, depois para a direita e esquerda novamente, como se fosse ou o número 8 deitado. Cada vez que passar pelo arco, se virar à esquerda, deve pisar primeiro com o pé esquerdo e virando à direita, pisar com o pé direito. Só depois da terceira volta é que se segue para o altar, pisando com o pé esquerdo. 

O arco, chamado chigaya, é feito de palha e é baseado em uma mitologia japonesa.
O ritual de junho, que quase se realiza com o obon, não tem o mesmo brilho dos rituais de Ano Novo, mas está se tornando cada vez mais popular.
Na data existe a tradição de saborear o minazuki, doce feito com azuki, uma espécie de feijão japonês.

Comentários



Leh,

estou sempre acompanhando reportagens que falem do modo de viver no Japao.
Fico encantada, adoraria conhecer. Quem sabe...

Bjs

Postagens mais visitadas deste blog

Onde doar roupas usadas no Japão

Ameixeira, cerejeira, pessegueiro, quais são as diferenças entre essas flores?

Dino Adventure, o Parque de Dinossauros de Nagoya

Lenda japonesa: A Tecelã de Nuvens

Yakudoshi, as idades consideradas perigosas no Japão

Lenda urbana do Japão: garrafas pet com água repelem gatos

A arte contada em arte, por Lucille Kanzawa

Shichifukujin, os 7 deuses da sorte do Japão

Guarda-chuvas da amizade, o empréstimo gratuito de guarda-chuvas no Japão

Ilha de Takeshima, em Gamagori, Aichi