Última postagem

Kyoto em 3 dias

Uma das rotas preferidas de turistas do mundo todo ao Japão: Quioto, Kyōto.
A ex-capital, por isso denominada Kyoto-fu, que foi a maior cidade do Japão, é hoje a sétima do país.
Além dos desastres e incêndios que sofreu, tinha sido incluída como alvo da bomba atômica na Segunda Guerra, mas foi poupada e substituída por Nagasaki. Por isso, muitos templos, santuários e outras atrações históricas se mantêm até hoje, reconstruídos após incêndios e desastres naturais.
Templos, santuários, jardins, castelos e o Palácio Imperial, em meio à modernidade, Kyoto é também a Hollywood de muitos filmes.
Cerimônias do chá, ikebana, quimono, maiko e atrações em todas as estações podem ser mais facilmente encontradas em Kyoto. 
Até mesmo o ritual  tradicional do mochi.
Além disso, existem muitas opções como vestir-se de maiko ou samurai, seja alugando por algumas horas para visitar templos ou para uma sessão de fotos, onde é realizado todo o make, ou comprar essas roupas.

Aluguel de bicicletas também estão disponíveis em vários locais. Não faltam jinrikisha (riquixá) pela área, facilitando até uma caminhada entre um ponto e outro mais próximo.
Kyoto também tem modernidade, com diversos pontos badalados em meio aos locais históricos.
Desfrutar bem de Kyoto exige um bom roteiro, com algum conhecimento sobre a área, para não perder muito tempo.
Por exemplo, você pode explorar a região de Arashiyama que envolve Kinkaku-ji, o bambuzal que é uma curta caminhada e explorar Adashino Nenbutsu-ji e o Otagi Nenbutsu-ji. Na região central que se divide em vários grupos, poderá conhecer Gion e seus encantos, o Castelo Nijo e o Palácio Imperial. O Palácio Imperial de Kyoto só pode ser visitado mediante reserva, no site.
Trens, ônibus ou taxi são as melhores opções para circular - pra quem vai de carro, o trânsito é estressante -  e conhecê-la em curto espaço de tempo. Para turistas que adquirem o Japan Rail Pass - que só podem ser usados nos trens da JR - é interessante adquirir o cartão pré-pago. Esses cartões pré-pagos são integrados e podem ser utilizados em qualquer cidade, efetuar pagamentos em máquinas automáticas de vendas, em guarda-volumes e em ônibus municipais. Em Kyoto existem linhas de ônibus que operam ao preço único de 230円 e não aceitam cartão. É sempre bom checar o recebimento ou não desses cartões, na caixa cobradora. Taxis é uma excelente opção se estiver em, pelo menos, 2 pessoas e não extremamente longe do local (neste caso recomendo trem). Uma corrida tem o valor mínimo em torno de 700円, alguns menos ou mais, dependendo da empresa e do carro. Os motoristas, além de falar inglês, desviam dos congestionamentos e são muito honestos. Quando o trânsito está lento e próximo do local de destino, os taxistas ensinam o caminho para prosseguir a pé, uma vez que taxi parado é mais caro do que em movimento.
Kyoto Free Guide disponibiliza guias voluntários, gratuitamente, em diversos idiomas. Existem brasileiros residentes no Japão que fazem freela como guias.
Kinkaku-ji, Kiyomizu-dera, Fushimi Inari são os mais conhecidos e também os mais cobiçados para uma visita a templos/santuários, porém, em Kyoto, é possível encontrar sempre um templo nem tão famoso ou não listado em principais sites de guias, tão grande e encantador, com uma rica história.
Eu poderia voltar todos os meses e não conheceria toda a cidade e seus pontos turísticos - uma vez que são 1600 templos e 400 santuários, segundo a Wikipedia - porém vou fazer uma pequena rota com alguns dos mais famosos locais e dicas diferentes de Kyoto, alguns que vi somente de longe, não chegando a ir até o local, pois foram apenas 3 diárias, aproveitando quase 4 dias.

Nas 3 postagens que farei a seguir, levando o título de Kyoto em 3 dias - o que na realidade são 3 diárias de hotel, fazendo um passeio turístico de quase 4 dias -  mostrarei um pouco da estação de Kyoto, Kyoto Tower e a bela vista, Fushimi Inari Taisha, Gion (que envolve Hanami-koji, onde é possível encontrar as maiko, aprendiz de gueixa), Kamogawa (Rio Kamo, onde ficam as varandas de Kyoto), Ponto-chō (um beco tradicional, com bares e restaurantes) , Shimbashi-dori (uma rua espetacular, ao lado de um canal), Yasaka Jinja, Kinkaku-ji, Kiyomizu-dera, Sanjūsangendō, Bambuzal de Arashiyama, Otagi Nenbutsu-ji, Ponte Togetsukyō, Heian Jinja e Nanzen-ji, além de algumas dicas.

Começarei pela área da estação que é muito interessante e tem esta arquitetura.
Mesmo recebendo um grande número de turistas do mundo todo, não é tão movimentada como as estações de Tóquio, Osaka ou Nagoya. Portanto, é tranquilo caminhar na estação, que tem sempre muitas atrações, inclusive ao redor.
Ela nos recepciona com imagens como esta, e a de muitas lojas.



Ainda na estação e após a catraca, dependendo da época, atrações alusivas ao período.
Fui no feriado de Ano Novo e, portanto, atrações natalinas e de Ano Novo. Decorações natalinas e de Ano Novo é possível encontrar em qualquer pequena estação de trens. À noite, elas ficam maravilhosas, mostrarei no final desta postagem.
Para aproveitar bem o dia, antes do check-in, nada melhor que deixar a bagagem no guarda-volumes da estação.
Ao lado da estação está a Kyoto Tower. A torre reflete na estação de Kyoto.


Kyoto Tower


Com uma taxa de 770円, há uma vista da cidade de Kyoto e - se o tempo estiver bom, até de Osaka - que poderá, inclusive, auxiliar no seu roteiro, e incluir outros pontos que despertar curiosidade. Através dela, é possível ver a localização de muitos templos e separá-las pelos inúmeros distritos.

Bem pertinho e, possível avistar pela Kyoto Tower, estão os templos Nishi Honganji e Higashi Honganji, este último em reformas.
A imagem acima é do telhado de Nishi Honganji - entre as linhas vermelhas - vista através da Kyoto Tower.
Abaixo, Higashi Honganji, que se encontra em reformas.
A entrada é gratuita nos 2 templos. No Higashi Honganji existe uma enorme corda, kezuna, feita com cabelos femininos doados pelas seguidoras.
Avistei esta enorme estátua, que chamou a atenção. A estátua é do templo Ryozen Kannon - que fica em Higashiyama, próximo de Kiyomizu-dera - feita em homenagem aos mortos da Segunda Guerra.

Endereço Kyoto Tower: 〒600-8216 京都府京都市下京区烏丸通七条下ル東塩小路町721-1
Kyōto-fu Kyōto-shi Shimogyō-ku Karasuma-dōri Shichijō-sagaru Higashi Shiokōji-chō 721-1 


FUSHIMI INARI TAISHA


Com uma área enorme e muito comércio entre a estação de trens local e o santuário, é o local mais visitado de todo o Japão. Existem 2 estações próximas, JR e Keihan.
Localizado na base do Monte Inari, em Fushimi-ku, o santuário é dedicado ao deus Inari.



Romon Gate, portão de entrada, foi doado por Toyotomi Hideyoshi, em 1589.
Abaixo, o Santuário Principal - Honden.

Inari, é o deus do arroz. Hoje, Inari é também o deus da prosperidade e dos negócios. Por isso, o santuário é muito procurado por empresários que desejam bênçãos para suas empresas e por particulares que desejam prosperidade.
Raposas - kitsune - são consideradas mensageiras de Inari, por isso estátuas delas estão por toda a parte. Estátuas de raposas muitas vezes são chamadas Inari.
Imagens das raposas com arroz e, abaixo, com a chave do celeiro.
Existem dois modelos de ema - tabuletas onde se escrevem desejos ou agradecimentos - torii em miniatura ou em formato de rosto de raposa, onde as pessoas fazem seus desenhos livremente.
Sobre ema, expliquei nesta postagem.
Abaixo, sacerdotes preparavam o santuário, decorando para o Ano Novo.
Finalmente a ala dos portais. Existem diversas fileiras desses portais, ao longo da enorme área.


Os portais contém nome dos doadores, particulares ou empresas, que pedem ou tem seus desejos atendidos.

Fushimi Inari Taisha tem diversas trilhas, uma delas leva ao topo, onde se obtem a vista da cidade.
A fila dos coloridos toríi - portal xintoísta - chama a atenção de turistas do mundo todo, principalmente por ter sido palco do filme "Memórias de uma gueixa".

Endereço: 〒612-0882 京都市伏見区深草薮之内町68番地
Kyōto-shi Fushimi-ku Fukakusa Yabunouchi-chō 68-banchi
Fone: 075-641-7331
Mapa

Restaurante Ganko 



Havíamos tomado um lanche durante o passeio, afinal não faltam opções rápidas e baratas - inclusive barracas próximas aos santuários - pelo arquipélago, mas nada como um bom almoço, depois de algumas horas andando pela estação e pelo santuário. Escolhemos o restaurante Ganko.
Ganko era a residência particular de um dos principais comerciantes de Kyoto. Devido à beleza do lugar e de um agradável jardim, tornou-se local de realização de festas. 
O requintado restaurante serve a tradicional cozinha japonesa, kaiseki, onde uma refeição custa a partir de 3.000円. Note-se que não é dos mais caros.
Além de desfrutar da bela vista enquanto almoça - optando por mesas tradicionais japonesas ou ocidentais - poderá fazer um passeio pelo jardim.
As imagens estão sombrias, devido ao horário.
Os pratos servidos no restaurante são requintados, tudo é feito com harmonia de cores, sabores e textura, assim como o formato das louças.
Pode-se optar por pedidos a la carte, tornando sua refeição mais barata.
Aproveitamos e experimentamos o famoso fugu. 
Fugu é um dos pratos mais célebres e notórios da culinária japonesa. A preparação do fugu é rigorosamente controlada por lei no Japão ou em qualquer lugar do mundo. Somente chef, após um rigoroso treinamento, estão autorizados a prepará-los, por conter partes tóxicas. A ingestão do fugu mal preparado - sem a devida remoção das partes venenosas - pode levar a óbito. Devido aos avanços, hoje em dia alguns piscicultores conseguem produzir o peixe sem veneno. 
Provei o fugu como sashimi e… sobrevivi! Quanto ao sabor, prefiro sashimi de atum.
Foi uma espécie de almoço e jantar ao mesmo tempo, pois iniciamos aproximadamente às 4h da tarde.
Começou chover e voltamos à estação para pegarmos as malas. Aproveitamos para outra espiadela na estação de Kyoto e ao redor dela, bem como as decorações natalinas noturnas.
Acima, Kyoto Tower e abaixo, reflexo total da torre, na estação.
Nas imediações, outros espetáculos.

Aqui, um pouco do interior da estação - subindo e atravessando ao longo dos corredores - lindas decorações por todos os lados. Algumas difíceis de mostrar em fotos, por serem figuras em neon que se modificavam e com melhor visibilidade de longe.

Na próxima postagem, Kiyomizu-dera, Sanjūsangendō - o famoso templo das 100 estátuas -, a região de Gion que inclui Yasaka Jinja, Hanami-koji - conhecido como o local das maiko, aprendizes de gueixa -, Kamogawa, rio Kamo - onde ficam as varandas de Kyoto, Ponto-chō, um beco de bares e restaurante e Shimbashi-dori, uma rua que passa ao lado de um canal, também cheio de bares e restaurantes. Leia o post, clicando >>> AQUI.

Acompanhe a nossa >>> fanpage e inscreva-se também no nosso Canal >>> YouTube. Siga-nos também no Instagram e no Twitter.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Onde doar roupas usadas no Japão

Dino Adventure, o Parque de Dinossauros de Nagoya

Ameixeira, cerejeira, pessegueiro, quais são as diferenças entre essas flores?

Yakudoshi, as idades consideradas perigosas no Japão

Shichifukujin, os 7 deuses da sorte do Japão

Lenda japonesa: A Tecelã de Nuvens

Ilha de Takeshima, em Gamagori, Aichi

Lenda urbana do Japão: garrafas pet com água repelem gatos

Guarda-chuvas da amizade, o empréstimo gratuito de guarda-chuvas no Japão

Festival de Tulipas de Nabana No Sato, Nagashima, Mie