O nome do blog "Vidasemvoltas" mudou para Japão Cultura e Turismo

A beleza das pedras oya de Utsunomiya



Embora tivesse iniciado a reserva 5 meses antes do feriadão de janeiro, da esperada viagem a Nikko, em Tochigi, não havia mais hotéis com preços razoáveis.
Resolvemos então ficar em uma cidade próxima e escolhemos Utsunomiya, capital da província de Tochigi, a maior cidade ao norte de Kanto.
Toda cidade no Japão, não importa o tamanho, sempre tem muito o que mostrar, portanto uma capital seria e foi uma excelente opção.
Utsunomiya é uma cidade industrial e comercial, com shopping famosos.
Dizem que o primeiro ekiben, que postei aqui foi vendido na estação de Utsunomiya.
A cidade é também conhecida como cidade do gyoza, e pelas pedras oya, originadas de uma erupção vulcânica que ocorreu há 20 milhões de anos.
A erupção produziu essas pedras na área nordeste de Utsunomiya, cujo distrito leva o nome Ōya.
É comum ver muitas construções com a pedra na cidade e, algumas áreas, lembram até a nossa Vila Velha com esculturas formadas ao longo de estradas.
Mesmo passados tantos anos, a cor das pedras não foram alteradas.

Visitei algo que gosto muito de ver aqui no arquipélago e que soube através do site da própria cidade: igreja católica.
Minha primeira visita em Utsunomiya: Matsugamine Catholic Church.
Construída em 1932, também é feita com a pedra oya, obra do arquiteto suíço Max Hinder.

A interessante história das pedras de Utsunomiya, sugeriu-nos visita a um templo construído sob uma pedra no ano de 810, pelo monge Kobo Daishi, que fica no distrito Ōya.
Ōya Kannon Otaniji, popularmente conhecido como Ōya Kannon ou Ōya-ji,  é um templo budista da seita Tendai, construído sob as pedras de uma caverna, na montanha Gotomeyama.


É preciso pagar uma pequena taxa de ¥300 (adultos) para adentrar no Templo.
No interior, uma estátua suntuosa e enorme da divindade principal Ōya Kannon, Buda Magaibutsu, com vários braços, considerada a mais antiga figura budista do Japão e importante local histórico e cultural.
Em seguida, um corredor rústico com grandes esculturas nas pedras nos leva ao museu e ao jardim.
O pequeno museu mostra ferramentas e ossadas que foram encontradas ao escavar a área em 1965, e que provavelmente fora uma antiga residência humana. Segundo o que estava escrito, tratava-se da ossada de uma pessoa aparentando 20 anos de idade, de milhares de anos.

Mais a frente, como todo templo, um jardim lindo.
No jardim do templo uma imagem da serpente que deu origem à seguinte lenda:
"Dizem que uma cobra venenosa vivia nestas cavernas, expelindo veneno ao rio. Todas as formas de vida que tocaram o rio morreram ou ficaram gravemente doentes. Um certo dia, um monge visitou o lugar, saindo somente 10 dias depois, dizendo que havia mandado a cobra para bem longe. As pessoas passaram a visitar o lugar, encontrando uma gravação da deusa da Misericórdia e, em vista do milagre, tornaram-se crentes no budismo, nascendo o templo.
Estátua de Sarasvati e vários jazo no jardim. 
Há, também, uma trilha que leva ao topo da montanha.


Ainda no templo, podia-se avistar uma grande estátua.
No caminho para chegar até a estátua, algumas lojas de lembrancinhas com peças feitas da pedra Oya.

Saindo à esquerda do tempo e depois à direita, encontramos este corredor cercado de pedras,
um caminho tranquilo, de muita paz.
A estátua é da Deusa da paz, Heiwa Kannon, com 27 m de altura.
Essa estátua tem uma história iniciada na Segunda Guerra.
Namizo Ueno começou a esculpir uma estátua budista em uma pedra. Perdeu 2 irmãos na guerra e, por isso, dedicou a estátua à paz.
Sem fundos, não conseguiu terminar a estátua. A Associação de turismo de Ōya resolveu assumir o término da construção, pedindo ao professor Tobita Asajiro, da Tokyo National University of Fine Arts and Music que concluísse a obra. Ueno fez uma nova estátua, contando com um grande grupo de assistentes. A estátua ficou pronta em 1954 e ganhou o nome de Deusa Pacífica da Misericórdia, e tornou-se memorial para as vítimas da Segunda Guerra.
O mirante é acessado por trás da estátua.
Imagem da estátua através do mirante
Vistas através do mirante

Oferendas
Rochas "Pai e filho"
Na região, as pedras oya movem não só o turismo, mas o comércio local. Pequenas ou grandes fábricas de artefatos do oya são vistas na região.


Nas paradas e no caminho de volta, ainda no distrito de Ōya, muitas construções com o material e rochas enfeitam o caminho.














Apesar de bastante exploradas, ainda existem toneladas das pedras oya.

Utsunomiya tem muitas outras atrações comerciais e culturais como o Museu da história da pedra Ōya e o Castelo de Utsunomiya.

O magnífico Templo Ōya Kannon fica em Tochigi-ken, Utsunomiya-shi, Ōyamachi 1198
栃木県宇都宮市大谷町1198
Mapa


Mais novidades sobre o Japão, curta a >>> fanpage.
Alguns eventos no Canal >>> YouTube.
Siga-nos também no Instagram e no Twitter.

Comentários



Leh,

É um encanto.
Então no Japão encontra-se cultura em qualquer lugar, por menor que seja.

Desejo a voce um otimo domingo.

Beijos

Postagens mais visitadas deste blog

Onde doar roupas usadas no Japão

Ameixeira, cerejeira, pessegueiro, quais são as diferenças entre essas flores?

Dino Adventure, o Parque de Dinossauros de Nagoya

Lenda japonesa: A Tecelã de Nuvens

Yakudoshi, as idades consideradas perigosas no Japão

Lenda urbana do Japão: garrafas pet com água repelem gatos

A arte contada em arte, por Lucille Kanzawa

Shichifukujin, os 7 deuses da sorte do Japão

Guarda-chuvas da amizade, o empréstimo gratuito de guarda-chuvas no Japão

Ilha de Takeshima, em Gamagori, Aichi