Última postagem

Kyōchikutō, oleandro, a flor de Hiroshima

                                                Kyōchikutō: esperança, força e luz

- Naquela terra queimada nada mais brotaria - pensavam os moradores de Hiroshima, após o bombardeio em 1945.
Os corações entristecidos, pela perda de entes queridos, ganharam ânimo e forças quando, em 1946, um ano depois do bombardeio, apareceram as primeiras flores de Kyōchikutō.
Kyōchikutō  teve a força de brotar naquele chão, exatamente um ano após o bombardeio.
Espirradeira, oleandro, ou Nerium Oleander (nome científico), embora tóxica, é uma das belas flores do verão japonês, que floresce totalmente despertando emoção dos moradores de Hiroshima, como símbolo de superação.

A maioria das cidades e províncias japonesas elegem uma árvore e/ou flor-símbolo.
Em agosto de 1973, Hiroshima efetuou um processo de seleção para escolher a árvore e a flor símbolo da cidade.

                 No processo, três árvores e três flores foram enviadas para votação aos moradores.
A árvore Kusunoki (Canfora) e a flor Kyochikuto (Espirradeira) foram as escolhidas.

Canfora, nome científico Cinnamonum camphora, Kusunoki (em japonês) já existiam por toda a cidade. No bombardeio, a maioria não resistiu. As que resistiram rapidamente se recuperaram e serviram de exemplo aos moradores, dando coragem para seguirem suas vidas e força para reconstruir. A árvore Canfora simboliza as 4 estações e o renascimento de Hiroshima.

Kyōchikutō, a primeira flor a brotar no chão e no coração dos cidadãos de Hiroshima.
A cidade destruída não havia perdido a fertilidade, inspirando a população de que logo se recuperariam do trágico acidente.

Cerimônias de homenagem 

Todos os anos é realizada a cerimônia no memorial da Paz em Hiroshima, em memória às vítimas da bomba atômica lançada às 8h15min no dia 6 de agosto de 1945.
No evento, sobreviventes e os que perderam seus familiares desempenham papel especial.
Autoridades japonesas e do exterior, bem como cidadãos comuns se reúnem em frente ao mausoléu do Peace Memorial Park.
O atual prefeito faz um apelo para a abolição das armas nucleares e realização da paz mundial eterna.
A cerimônia é transmitida pelas emissoras de televisão em quase todo o mundo.
Embora tenha início às 8 horas, a área está aberta para recepcão às 6h30 da manhã.


Exatamente às 8:15, momento em que a bomba atônica foi lançada sobre Hiroshima, o Sino da Paz e sirenes são tocadas e 1 minuto de silêncio é feito em memória às vítimas do ataque.
Seguem-se declaração de paz, libertação de pombas e a homenagem se encerra através da Canção da Paz de Hiroshima.



À noite, a homenagem é feita às margens do rio Motoyasu, abaixo da Abóbada da bomba atômica, na fronteira com o Peace Memorial Museum. Lanternas de papel coloridas com apelos pessoais de paz são  colocadas no rio, em memória aos que perderam suas vidas no bombardeio.

Comentários

海子 Okasan disse…
✿ Kyochikuto [ 夾竹桃花 ]

Bom dia Leh!
Lindo artigo sobre uma flor que resistiu a uma maldade tamanha, a bomba atômica!

Como disse a pequenina Sadako Sasaki:

Escreverei paz em suas asas,
e você vai voar ao redor do mundo,
para que as crianças não morram mais desta forma.

NÃO ás armas nucleares!
SIM à PAZ!

Muito obrigada Leh ❤
Um beijo para você.

Soprando o vento
leva mensagens de Paz
mil gruas de papel

海子
Gerson Miyamoto disse…
O Tsunami de 2011 apesar de parecer muito mais forte que a bomba atômica matou dizem 20.000 pessoas. Mas destruiu bastante.

Postagens mais visitadas deste blog

Onde doar roupas usadas no Japão

Dino Adventure, o Parque de Dinossauros de Nagoya

Ameixeira, cerejeira, pessegueiro, quais são as diferenças entre essas flores?

Yakudoshi, as idades consideradas perigosas no Japão

Shichifukujin, os 7 deuses da sorte do Japão

Lenda japonesa: A Tecelã de Nuvens

Ilha de Takeshima, em Gamagori, Aichi

Lenda urbana do Japão: garrafas pet com água repelem gatos

Guarda-chuvas da amizade, o empréstimo gratuito de guarda-chuvas no Japão

Festival de Tulipas de Nabana No Sato, Nagashima, Mie