Última postagem

As lições que o Brasil não aprendeu, de Fernando Mitre

Hoje meu dia começou assim... imagem linda de neve, não aquelas gotinhas que logo derretem.



Apesar do frio intenso e de tantos outros desastres que o Japão está sujeito, não ficamos preocupados.

O frio é amenizado por todos os tipos de aquecedores disponíveis no mercado, acessíveis e dispostos em todos os lugares, nos trens e nos carros. As roupas também. Frio só mesmo da porta de sua casa até o carro, estação...

Sabemos que ocorrem terremotos várias vezes ao dia - até já nos acostumamos com pequenos tremores - mas somos instruídos sempre e os mercados colocam kits de sobrevivência à venda. Isso se chama prevenção!

Quando ocorre um terremoto, imediatamente as emissoras de TV - todas - emitem alertas mostrando local e grau na escala, em meio à programação, como nesta imagem:

Lembro-me do alerta de tsunami que ficou famoso no mundo todo, o maior em 17 anos, quem se lembra?
Gostaria que lessem o post que fiz na época, há quase um ano atrás.

Na época, fiquei impressionada com os cuidados preventivos, caso ocorresse o tsunami, apesar de não acreditarmos que isso acontecesse. Exageros? Não! É prevenção! A impressão é que quanto mais se previne, menos acontece.

Apesar de toda prevenção acontecem vítimas, imaginem se não houvesse.

Exemplos como os do Japão e outros países deveriam ser seguidos.
Não acredito que algum político não tenha pensado nisso, o que falta mesmo é ação.
Qualquer leigo no assunto pensa como eu.

Já passou da hora de mudar, ainda que a longo prazo:
- descobrir - na verdade já sabem e estão claras - as causas,
- buscar soluções desde a base - os desastres acontecem em áreas pobres, não autorizadas, problemas conhecidos pelas autoridades
- mudar hábitos, educar o povo, penalizar se for preciso
- conscientizar.
E outras tantas ações que poderiam ser feitas, afinal com tantos Ministérios, Secretarias e cargos criados, impossível que não surjam idéias preventivas.

Fernando Mitre, fez um breve comentário sobre a falta de prevenção:



O importante não é justificar o erro, mas impedir que ele se repita.
[Che Guevara]

Comentários

Muito bom esse post, Helena. O segredo é esse, prevenir. Veja que, quando dá tufão aqui, chove MAIS do que choveu no Rio. E morro aqui não falta, o país é pura montanha. Mesmo assim os prejuízos são mínimos, não há mortes.
Até mesmo o vizinho Chile, que chega a ter terremotos bem mais fortes que o daqui, tem um número pequeno (se é que pode dizer isto de vidas humanas) de vítmas - basta comparar com o Haiti e outras regiões que tiveram terremotos.

prevenção é a solução! não adianta remediar, remediar e remediar, consertar, consertar e consertar.

boa semana
C C Maia disse…
Oi Leh! Em casa sempre falamos disso, pq os menores problemas das chuvas mostram como a educação da população evitaria mt estrago. Os bueiros, por exemplo, que cheios de lixo impedem o livre e direcionado curso das águas, causando nichos de inundação em todos os cantos da cidade, que por sua vez se reflete no trânsito de veículos e dos próprios pedestres. Ainda ontem vi, na cidade Universitária, um bairro caro, um motorista num belo e caro carro, comeu a sua banana e num gesto super natural jogou a casca pela janela. Então vc vê q o problema de educação vem de longe. Mas onde começa o problema? Na incompetência, no descaso mas muito mais na sem vergonhice, pq vc vê que o governo reserva uma módica quantia para infraestrutura e, segundo a mídia, 14 vezes mais consertando. Isto porque obra de prevenção não aparece, mexe com o humor da população carente, a maioria, que é obrigada a se mudar para outro local pra q as obras aconteçam, gera antipatias p políticos associados às obras, ou seja, n dá votos. Então é pura falta de respeito com a vida dos outros pq p eles é td fácil, salários são aumentados do dia p a noite, enquanto que uns reles 6% do salário mínimo contra os 60% dos políticos sacanas, ainda está em discussão, viajam à farta à custa dos impostos q pagamos com sangue e ainda com passaporte diplomático p a família e os amigos. Vc acha q com tantas facilidades e tanta farra sobra tempo pra pensar na população carente, pra retribuir à classe média os impostos pagos no sacrifício (sim pq pobre e rico n pagam imposto)? É uma pobreza espiritual necessitada de muitas vidas p acordar a consciência. Parece que a maior parte da corja desembestou/reencarnou toda no Brasil. Grande abraço e desculpa o desabafo.

Postagens mais visitadas deste blog

Onde doar roupas usadas no Japão

Dino Adventure, o Parque de Dinossauros de Nagoya

Ameixeira, cerejeira, pessegueiro, quais são as diferenças entre essas flores?

Yakudoshi, as idades consideradas perigosas no Japão

Shichifukujin, os 7 deuses da sorte do Japão

Lenda japonesa: A Tecelã de Nuvens

Ilha de Takeshima, em Gamagori, Aichi

Lenda urbana do Japão: garrafas pet com água repelem gatos

Guarda-chuvas da amizade, o empréstimo gratuito de guarda-chuvas no Japão

Festival de Tulipas de Nabana No Sato, Nagashima, Mie