O nome do blog "Vidasemvoltas" mudou para Japão Cultura e Turismo

Washi, o papel tradicional japonês, Patrimônio Cultural Imaterial da Humanidade

Washi é um papel tradicional japonês, que remonta há 1300 anos.
O papel, originalmente, foi fabricado na China; no Japão, foram inicialmente produzidos pelos monges budistas para escrever sutras. 
No entanto, o Japão superou em qualidade, dando novas texturas, cores e desenhos.

As comunidades de Misumi-cho, em Hamada, província de Shimane, Ogawa em Saitama e a cidade de Mino, em Gifu, são as maiores produtoras do artesanato tradicional do papel washi no Japão, além do cultivo da amoreira.
A produção do papel artesanal envolve um grande e delicado trabalho, onde se processam matérias primas e feitas manualmente. São levadas à água em várias etapas, depois passam pelo processo de secagem.
Fibras das cascas de árvores de amoreiras são utilizadas na produção do papel washi. 
Ainda existem famílias que se dedicam à produção do papel, que é totalmente artesanal. Assista ao vídeo de uma reportagem da TV japonesa, na ocasião em que foi indicado para reconhecimento como Patrinônio Mundial,

Nem mesmo a tecnologia consegue superar a qualidade do washi feito a mão.
O método tradicional deixa o papel enrugado e, mesmo fino, é resistente e firme, além da agradável aparência.
Bonito e resistente, papel washi pode ser pintado, colado, costurado e serve para encapar cadernos, livros, caixas.
Alguns livros são feitos com o papel e, pela beleza do papel translúcido, convites, cartões e envelopes também são muito fabricados.
Chōchin, lanternas japonesas, são feitos de papel washi.
Os maiores chōchin, lanternas japonesas, são confeccionados sanfonados, veja que existem dobras.


Pela resistência, as lanternas podem ser colocadas mesmo na água, iluminando e embelezando os lagos nos festivais realizados à noite.

São incontáveis objetos tradicionais feitos a partir do papel washi, como cortinas, divisórias, origami, sensu ou fan (leques), wagasa (sombrinhas japonesas).
Em Mino, Gifu, existe o Museu Mino Washi, construído em 1941 e designado em 2005, Propriedade Cultural Tangível.
No Museu são expostas diversas obras, tanto de japoneses, como de todos os artistas do mundo. Além disso, quem quiser pode aprender a técnica do papel washi, no museu.
Muitos artistas vão à cidade de Mino para aprender a arte do papel washi.
As diferentes obras através do washi, podem ser vistas e adquiridas nas lojas da cidade de Mino, além disso, uma exposição de luminárias acontece todos os anos, no mês de outubro, o Mino Washi Akari Art, que mostrei na (clique, se ainda não leu) >>> postagem anterior.

Dentre as diversas atividades, Patrimônio Cultural Imaterial significa conhecimentos e técnicas transmitidos de geração em geração. A técnica do papel washi é uma dessas atividades.

Por isso, em novembro de 2014, o papel washi passou a ser considerado Patrimônio Cultural Imaterial da Humanidade pela Unesco.

Mais novidades sobre o Japão, curta a >>> fanpage.
Alguns eventos no Canal >>> YouTube.
Siga-nos também no Instagram e no Twitter.

Comentários

Bia Hain disse…
Achei o máximo conhecer um pouco mais sobre a confecção desse papel! Adoro washi tapes, tenho uma coleção, gosto da delicadeza da fita! Abraços!
Leh ou Helena disse…
Que bacana, Bia! Gostei de saber.
Obrigada pelo carinho de sempre, amiga.

Postagens mais visitadas deste blog

Onde doar roupas usadas no Japão

Ameixeira, cerejeira, pessegueiro, quais são as diferenças entre essas flores?

Dino Adventure, o Parque de Dinossauros de Nagoya

Lenda japonesa: A Tecelã de Nuvens

Yakudoshi, as idades consideradas perigosas no Japão

A arte contada em arte, por Lucille Kanzawa

Shichifukujin, os 7 deuses da sorte do Japão

Lenda urbana do Japão: garrafas pet com água repelem gatos

Guarda-chuvas da amizade, o empréstimo gratuito de guarda-chuvas no Japão

Ilha de Takeshima, em Gamagori, Aichi