O nome do blog "Vidasemvoltas" mudou para Japão Cultura e Turismo

Kyoto em 3 dias - Segundo Dia: Kiyomizu, Sanjūsangen-dō e a área de Gion

Prosseguindo, as visitas do segundo dia em Kyoto foram: Kiyomizu-deraSanjūsangen-dōGion, compreendendo Kamogawa (Rio Kamo) e as varandas de Quioto, Ponto-chōShimbashi-dori e Yasaka Jinja.

Kiyomizu-dera

Kiyomizu é um templo localizado em Higashiyama, em uma enorme área com muitos edifícios interessantes, histórias e lendas.
 Sobre Kiyomizu-dera contei nesta postagem <<< clique para saber mais detalhes - se ainda não leu -, bem como imagens significativas e explicações, endereço e mapa.
Mesmo com alguns edifícios em reformas atualmente, vale a pena conhecer.

Sanjūsangen-dō


O nome original de Sanjūsangendō - tesouro nacional - é Rengeō-in, templo da seita Tendai, construído há 750 anos, localizado em Higashiyama, em frente ao Museu Nacional de Kyoto. 
Sanjūsangendō significa "33 espaços entre colunas", uma antiga forma de medida. O templo é famoso pelas 1001 estátuas de Kannon, Deus da Misericórdia, esculpidas nos séculos 12 e 13, após incêndio. Museu Nacional de Kyoto.

Na área, um enorme e belo jardim.
Não tem muitos edifícios, porém são enormes.
No salão acima estão as 1001 estátuas e, na imagem abaixo, entrada. É preciso tirar sapatos, surippa (chinelos japoneses) estão disponíveis. Fotografias não são permitidas, mas na saída existe uma loja que vende postais e livros sobre o templo.
Como não se pode fotografar as famosas estátuas - o mais interessante do templo - não posso postar, ficando apenas imagens dos demais edifícios e jardim.

Endereço: 〒605-0941 京都市東山区三十三間堂廻り町657
〒 605-0941 Kyōto-shi Higashiyama-ku Sanjūsangendōmawari-chō 657
Mapa

O Museu Nacional de Kyoto fica em frente ao Sanjūsangen-dō.

Gion: Kamogawa, Ponto-chō, Shimbashi-dori e Yasaka Jinja


Kamogawa

Rio Kamo, que cruza Gion, é um local agradável. Mesmo no inverno, as pessoas passeiam pela calçada, ao longo do rio, ou pescam. Na primavera, o movimento, segunda foto abaixo, é ainda maior quando as cerejeiras, lá plantadas, florescem. No verão, as varandas dos bares e restaurantes situados às margens, fazem o panorama exótico.
Bares, restaurantes e ryokan estão instalados de um lado da calçada.
E do outro, pessoas caminham, pedalam.
São bares, restaurantes e ryokan.
Verão em Kyoto é muito mais quente e úmido do que em outros lugares, devido às montanhas. Por isso, uma experiência exótica é se refrescar nesses restaurantes que instalam palafitas ao longo das margens do rio Kamo.
As palafitas, chamadas Nōryō Yuka, que significa Piso de Verão, estão instaladas - em restaurantes e bares no espaço localizados entre Nijo-dori e Gojo-dori - para servir no período de maio a setembro. Fora deste período só atendem à noite, no espaço interior.
Antigamente existiam bancos às margens do Rio Kamo, onde as pessoas lanchavam e se refrescavam. A alta classe passou a frequentar o local e, com o tempo, houve melhorias no local. Barracas foram montadas e hoje, bares, finos restaurantes e casas de chá tradicionais se instalaram no local.
Na imagem abaixo, restaurantes vistos através do Rio Kamo. Clique na imagem para ampliar e ter uma idéia de como são os interiores.

Na época do Tanabata, em julho, as margens do rio ficam decorados com o tema e os comerciantes enfeitam suas varandas.

Ponto-chō

Paralelo ao rio, após cruzar a ponte, está Ponto-chō.
Ponto-chō é um beco estreito e exótico, com casas de chá, bares e restaurantes que oferecem cozinhas tradicionais de Kyoto e os yakitori, uma espécie de espetinhos de frango assados.
Existe uma teoria de que o nome Ponto, deriva do português "ponta" - no sentido de topo - que os japoneses pronunciam como ponto, porém sem confirmação.
Sem muita calçada, às vezes, a vitrine é assim, pequena, delicada, graciosa.
Esta é uma região tradicional. Lanternas deixam o lugar totalmente charmoso, enquanto a movimentada rua que cruza, é também point dos jovens do local e turistas.
Mais uma rua à frente, está Shimbashi dori. Um canal que corre nesta rua, cercada de árvores - de cerejeiras e salgueiro - e restaurantes.

Shimbashi-dori 

Muitos restaurantes caros enfeitam o canal com suas fachadas e janelas panorâmicas. 
A maioria desses  restaurantes necessitam reservas.
Vale a pena visitar este lugar, na época das cerejeiras.
A cozinha internacional também se faz presente.

Bares e restaurantes também em edifícios, onde se encontram opções mais baratas para refeições, sem a necessidade de reservas.
Mesmo chovendo ou no pior inverno, esta rua é movimentada à noite.
A gastronomia é o forte do local, existindo também ryokan e casas noturnas.
Kamogawa e as varandas, Ponto-chō e Shimbashi-dori estão paralelamente, nesta sequência.
Movimento noturno na ponte Shijo Ohashi, sobre o Rio Kamo. 
Bem perto, na esquina da Shijo Dori - principal rua de Gion - e do Rio Kamo, está o Teatro Minamiza Kabuki, que foi construído em 1929. Este teatro apresenta espetáculos kabuki. O espetáculo varia de 4.000円 para um único ato, chegando a 17.000円 para a peça inteira, mas é sempre bom consultar a bilheteria, pois não há venda on-line de ingressos.
No mapa abaixo, localização do Teatro Minamiza Kabuki, que fica entre Kamogawa (Ponto-chō, Shimbashi-dori) e Gion Corner, a partir de Hanami Koji.

Hanami Koji

Hanami-koji é uma rua cheia de restaurantes e casas de chá, em arquiteturas tradicionais.

Sido citado erroneamente como distrito da luz vermelha é uma rua bastante interessante, onde é possível encontrar maiko - aprendizes de gueixa -, ao anoitecer.
As tampas de bueiro decoradas indicam endereços.
Gion Corner é um teatro onde são apresentadas 7 artes cênicas, incluindo danças, bunraku, koto, cerimônia do chá, em espetáculos de 1 hora, com explicações em inglês e, por isso, bastante apreciado pelos estrangeiros. 
As sessões de espetáculos de Gion Corner, em feriadões, sempre lotam. Um ótimo local para quem quer ver as verdadeiras gueixas.
Shijo dori, avenida principal que cruza Gion, é repleta de lojas, um ótimo local para compra de lembrancinhas.
Esta é a visão da Shijo dori, através de Yasaka Jinja.

Yasaka Jinja

Melhor visitar Yasaka Jinja pouco antes de escurecer - cujos horários variam, dependendo da época - para obter imagens diurnas do templo, e as noturnas, pelas inúmeras lanternas. Situado bem próximo de Hanami Koji, o acesso ao santuário é fácil, seu colorido atrai a atenção de quem passeia pela Shijo Dori.
Yasaka Jinja é famoso pelo tradicional festival Gion Matsuri - realizado todos os anos no mês de julho - que originou de um desfile de mikoshi, andor, que o santuário resolveu fazer, no ano de 869, para afastar uma epidemia que tomou conta de Kyoto. 
Gion é uma divindade guardiã budista, por isso teve os nomes de Gion-sha e Kansin-in e, muitas vezes, o santuário é chamado de Gion Jinja, devido ao festival. 
O santuário ocupa uma grande área, com muitos edifícios.






Endereço: 605-0073 東山区祇園町北側625
Higashiyama-ku Gionmachi Kitagawa 625
Fone: 075-561-6155
Mapa


Na próxima postagem, terceira e última da série ”Kyoto em 3 dias”: Kinkakuji, Bambuzal de Arashiyama, Otagi Nenbutsu-ji, Ponte Togetsukyō, Heian Jinja e Nanzen-ji.
Terceiro dia em Kyoto, confira >>> AQUI.

Mais dicas sobre o Japão?
Curta a >>> fanpage e inscreva-se no Canal >>> YouTube.
Estamos também no Instagram e no Twitter.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Onde doar roupas usadas no Japão

Ameixeira, cerejeira, pessegueiro, quais são as diferenças entre essas flores?

Dino Adventure, o Parque de Dinossauros de Nagoya

Lenda japonesa: A Tecelã de Nuvens

Yakudoshi, as idades consideradas perigosas no Japão

Lenda urbana do Japão: garrafas pet com água repelem gatos

A arte contada em arte, por Lucille Kanzawa

Shichifukujin, os 7 deuses da sorte do Japão

Guarda-chuvas da amizade, o empréstimo gratuito de guarda-chuvas no Japão

Ilha de Takeshima, em Gamagori, Aichi