Última postagem

Oiran Dōchū, o desfile das cortesãs da Era Edo

 Oiran Dōchū é o desfile em que as oiran, cortesãs do mais alto escalão da era Edo, faziam para receber seus visitantes.

Havia assistido a um vídeo em que a aldeia temática Edo Wonderland, localizada em Nikko, Tochigi, oferece como uma das principais atrações e há muito planejava ir até lá. Nada com um feriado prolongado para colocar em dia alguns passeios desejados, principalmente quando se trata de um local um pouco distante.
O passeio, claro, rendeu muitos outros atrativos, que contarei oportunamente, inclusive do próprio Edo Wonderland Edo Mura, onde tem coisas incríveis, me sentido verdadeiramente no Japão, cruzando com ninjas, samurais, pessoas com trajes típicos, enfim tudo que lembra o período Edo.
Muito embora exista desfile das oiran todos os anos, em Nagoya, promovido pelo Festival de Osu sempre no outono, era o desfile que sempre quis assistir ao vivo.

Vai aqui uma breve explicação sobre oiran:
Em Kyoto eram chamadas "tayu", o mais alto posto de cortesã do Japão.
Em meados de 1700, as diversas formas desapareceram, ficando conhecidas somente como Oiran.
Oiran, traduzido como prostituta de alto escalão do período Edo, é um berço da cultura dessa época.
Como yujo eram consideradas artistas e tornaram-se celebridades fora dos "distritos do prazer".
Os mais famosos "distritos do prazer" no Japão, denominados hanamachi (hana=flor) machi=cidade) estavam em Quioto, chamado Shimabara; em Osaka, Shinmachi e, em Edo, atual Tóquio, Yoshiwara. Esses bairros cresceram com muita rapidez, por oferecerem "quartos do prazer" com diversos entretenimentos, apesar de existirem os "ageya".

Uma boa oiran era educada, com habilidades em chado (cerimônia do chá), ikebana (arranjos florais), caligrafia, poesia, koto, shamisen. Tinha que ser inteligente para saber conversar espirituosamente e escrever de forma eloquente.
Imagens aqui utilizadas são do desfile "Oiran Dōchū" de Edo Wonderland
Fortes estampas, cores brilhantes, 3 a 5 camadas de quimono eram seus trajes.
obi (laço do quimono) amarrado a frente, era uma característica de suas roupas, imitando as mulheres casadas, embora dissessem que era para facilitar o ato de vestir e despir sem ajuda de ninguém.
O penteado sempre muito bem elaborado, com muitos pinos e pentes no cabelo.
Calçavam gueta (sandálias) com plataforma de 15 cm de altura e sem tabi (meia). Os pequenos e delicados pés à mostra sob uma camada de quimono, bem como a nuca, eram detalhes eróticos.
Seus visitantes (ou clientes) não podiam ser casuais. Deveria haver convite formal e, antes do contato, passar pelas ruas em procissão formal com um séquito de servos e uma comitiva de jovens aprendizes, como no vídeo abaixo:



A era gueixa terminou a era das oiran. As gueixas praticavam os entretenimentos comuns e acessíveis aos visitantes casuais. A popularidade cresceu rapidamente, eclipsando a do oiran.
O último registro oiran foi feito em 1761. As poucas mulheres Oiran que restaram praticavam somente as artes, sem aspecto sexual, fazendo apenas como preservação do patrimônio cultural e não como profssão ou estilo de vida.

Gueixas não são prostitutas, além do fato de que a prostituição foi proibida em 1957.  Podem flertar com clientes, mas nada além disso.
Existem diferenças entre gueixa(geisha), gueiko (geiko) e maiko.
Como o próprio nome diz gei=arte sha=pessoa, gueixa é uma pessoa das artes.
São treinadas como artistas, desde crianças, por volta dos 10 anos de idade, pois devem ser hábeis na dança, música, tocar instrumento. Precisam saber lidar com hóspedes como outra forma de entretenimento.
Somente moças que completarem o ensino médio, solteiras e não pretendem se casar podem se tornar gueixas.
As gueixas usam roupas menos formais e o obi para trás.

Gueiko ou geiko é uma forma diferente de se dizer gueixa, um dialeto de Kyoto, e difere, às vezes, em costumes e tradições.

Maiko é a junção das palavras mai=dança ko=filho, referido também como dançarina.
É aprendiz de gueixa, cujo período de treinamento leva em média 5 anos, aprendendo as artes da dança, canto, música e instrumentos, antes de se tornar gueixa.
Maiko usam roupas e penteados bem mais suaves.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Onde doar roupas usadas no Japão

Ameixeira, cerejeira, pessegueiro, quais são as diferenças entre essas flores?

Dino Adventure, o Parque de Dinossauros de Nagoya

Yakudoshi, as idades consideradas perigosas no Japão

Lenda japonesa: A Tecelã de Nuvens

Shichifukujin, os 7 deuses da sorte do Japão

Ilha de Takeshima, em Gamagori, Aichi

Guarda-chuvas da amizade, o empréstimo gratuito de guarda-chuvas no Japão

Lenda urbana do Japão: garrafas pet com água repelem gatos

Festival de Tulipas de Nabana No Sato, Nagashima, Mie