Última postagem

Jizō, guardião dos viajantes, crianças e mulheres grávidas

Encontrado em templos ou santuários, jardins, cemitérios, ao longo de estradas, em todo canto do Japão.
Aparência de um monge, vestindo roupas e com a cabeça raspada - muitas vezes com uma jóia na mão esquerda, que realiza desejos e um shakujo, na mão direita - essas estátuas são os Jizō.
Às vezes, traz um bebê nos braços, sempre entre os lugares físicos e espirituais.
Representado de diversas formas - inclusive animais -, algumas aldeias ou localizações tem o seu próprio Jizō, com nomes exclusivos, definindo funções específicas.
De origem budista, algumas imagens podem ser vistas com uma coroa, usados por monges tibetanos e chineses em rituais tântricos.
Jizō é uma das divindades mais populares e muitos japoneses ainda acreditam que podem salvá-los a qualquer momento e em qualquer situação.
Muitas imagens carregam histórias de esperança, sofrimento ou alegria.
Em beira de estrada podem carregar tristes histórias.
Jizō é uma divindade protetora dos viajantes - por isso encontramos a imagem em beira de estrada - muitas vezes escondidos na mata - e em cruzamentos.

Jizō é o protetor das crianças e também cuida das almas dos abortados, natimortos, dos que faleceram ainda pequenos.
Ainda é protetor dos bombeiros e também guardião das almas perdidas. 

Brinquedos, peças de roupas, doces, bebidas ou frutas são deixados como oferendas na base dessas estátuas.
Mulheres grávidas também oram pela fertilidade e parto fácil, pois Jizō é também protetor delas.
Muitos me perguntaram em diversas ocasiões, porque Jizō usam babadores vermelhos.
Jizō usam, além de babadores, chapéus ou toucas, colete, ou qualquer outra peça que deseja decorar.
As vestimentas colocadas nas estátuas - e até mesmo as próprias estátuas, quando encontrada em série ou em grande quantidade - são doadas pelas pessoas que fazem pedidos ou em agradecimento por uma graça alcançada.
Em épocas remotas, as crianças usavam babadores vermelhos por ser a cor da proteção.
Alguns dizem que vestir essas estátuas estão relacionadas à prática de acumular méritos na vida após a morte, um tema do budismo. Como Jizō representa um monge, ao vestir uma estátua que o represente, acumulam méritos. É como se vestir Jizō fosse uma forma de interagir com ele.
Jizō tem vários significados espirituais.
No folclore japonês, Jizō esconde as crianças em suas vestes para protegê-las dos demônios e orientá-las para salvação.
Em todas as situações aparece para aliviar o sofrimento dos vivos e dos mortos.

Comentários

Uma saudade danada docê!
Da cultura desse povo lindo e de saber teu!

Bzuz nas mãos e girassóis em profusão

viva la vida
Bia Hain disse…
Oi, Leh! Não sei quais são suas tradições, mas como por aqui estamos próximos do Natal, desejo muita luz e alegria nesse período! Um abraço!

Postagens mais visitadas deste blog

Onde doar roupas usadas no Japão

Dino Adventure, o Parque de Dinossauros de Nagoya

Ameixeira, cerejeira, pessegueiro, quais são as diferenças entre essas flores?

Yakudoshi, as idades consideradas perigosas no Japão

Shichifukujin, os 7 deuses da sorte do Japão

Lenda japonesa: A Tecelã de Nuvens

Ilha de Takeshima, em Gamagori, Aichi

Lenda urbana do Japão: garrafas pet com água repelem gatos

Guarda-chuvas da amizade, o empréstimo gratuito de guarda-chuvas no Japão

Festival de Tulipas de Nabana No Sato, Nagashima, Mie