Última postagem

O Japão do meu dia a dia: estendendo roupas em pequenos varais no Japão

A imagem não é das mais bonitas, nem condiz com estatutos dos condomínios no Brasil, confere?    
O Japão que a maioria conhece é assim em fotos: ambientes futuristas, arquiteturas incríveis.

Vielas, ruas estreitas,  arquiteturas tradicionais.
A verdade é que o Japão sempre surpreende combinando tradição e modernidade.

Uma das fortes características surpreendentes do povo japonês é a praticidade.
Tradição, modernidade, praticidade faz com que milhares de estrangeiros residentes no Japão se adaptem a alguns detalhes, a princípio estranhos, que ficam despercebidos depois de algum tempo.
Pequenos espaços pedem criatividade e praticidade ao povo japonês.
Uma das coisas que me surpreendeu muito logo que cheguei ao Japão, e confesso que achei anti-estético - devido aos padrões de habitação ocidental - foram imagens de sobrados e prédios com roupas e futons - edredons japoneses - estendidos na fachada, ou melhor dizendo, à mostra.



Vi até uma raridade e tive que registrar, futons em grades, na rua.
Nem todos os prédios tem estendais expostos, mas a maioria sim.
Prédios elegantes escondem colocam estendais de forma discreta. Veja na foto abaixo, os varais ficam abaixo do parapeito.
Mesmo algumas casas elegantes apresentam fachadas com roupas.

Pendurar roupas em sacadas ou janelas é uma das proibições dos condomínios no Brasil.
O método também é diferente. O nosso é na corda:
Com o tempo fui me acostumando e descobri que em diversas partes do mundo, as formas de estender roupas são diferentes. Existem países que estendem roupas sobre toldos.

Lavanderias bem equipadas não faltam, tem sempre uma bem pertinho. Japão é o país das franquias, existem inúmeras redes delas.
Além de práticas, o fator confiança e respeito se fazem presente. Todos deixam as roupas nas lavadoras ou secadoras e continuam seus afazeres, voltando no tempo aproximado ou até um pouco além para buscá-las. Ninguém mexe!
Umidade, o hábito do uso dos futons e pouco espaço faz a necessidade ir além da estética.
Varais do Japão são diferentes e práticos.
Os varais ficam em estreitas sacadas, mas são funcionais.
Dá a impressão que não cabe tanta roupa, porém os acessórios e a maneira com que são colocados ampliam o espaço.
Os canos ou hastes são móveis, como mostro na imagem abaixo.
Os ganchos brancos, ao lado das portas de vidro, são suportes fixos para encaixes das hastes. Esses suportes variam de modelo, que podem sair da parede ou do teto.

Não é preciso um amplo quintal. Prédios ou casas, tem como padrão instalar suporte para encaixe do varal ou haste de metal.
As hastes de metal são encontradas em qualquer loja de artigos para casa.
Na imagem abaixo, suportes com e sem os varais.
Existem varais flexíveis, conforme imagem abaixo. Muitos usam este tipo dentro de casa, adequando-se ao tamanho do ambiente. Em determinadas épocas, devido ao clima e pelas pessoas que tenham alergia ao pólen (kafunsho) roupas são estendidas dentro de casa.
Bastante prático, as roupas são estendidas em cabides. Saem dos varais para os armários.
Eu particularmente estendo em cabides, claro, mas aprendi que roupas devem ser passadas a ferro, como prevenção a possíveis micróbios.
Como na imagem abaixo, aproveito bem o espaço, coloco um mini varal plástico na haste para peças menores ou mais retas.
As roupas colocadas em cabides, facilitam na hora de passar a ferro.
Estes são outros pequenos varais que podem ser pendurados na haste para peças retas ou pequenas.
Acima, varal pequeno para peças menores, servem para meias ou roupas íntimas. Muito usado dentro de casa, em banheiros. Abaixo, um varal maior.
Quando se tem quintal, é usado suporte como abaixo. No caso da imagem abaixo, o varal é duplo. É usado, geralmente, suporte com 1 varal, o mais baixo.
                                                          Foto acima: Rakuten

Existem diversos modelos e tamanhos, que podem ser colocados em grandes ou pequenas varandas ou em quintais.


Batedores de futons, cabides, cabideiros, pregadores fazem parte da gama de artigos para estender roupas.
Esses artigos são facilmente encontrados em lojas de 100 ienes.

Todos esses acessórios são encontrados em vários tamanhos.

O vídeo abaixo mostra bem como são utilizados esses varais e o que criam para estender roupas íntimas. As peças íntimas não são expostas. Isto faz a indústria de varais ser criativa.

Assim que cheguei, fui instruída pelo encarregado da empreiteira, para não estender peças íntimas fora de casa.
É que no Japão existem ladrões de calcinhas. Isto mesmo! Assista no vídeo abaixo, um flagra filmado por brasileiros. Não é a primeira vez que esse shitagi dorobou rouba peças íntimas, confira, é muito interessante :)

Calcinhas são fetiche para alguns homens.
Existem inúmeros vídeos postados no YouTube, de flagras desses ladrões, gravados por câmeras em prédios.
A desculpa usada pela maioria dos ladrões de calcinhas, quando são presos, são cleptomania ou o fato de adorar essas peças e também, timidez.
O roubo dessas peças é mais comum em casas ou apartamentos térreos, mas existem homens-aranha que conseguem subir em andares mais altos.
Portanto, como prevenção, melhor utilizar o varal menor dentro de casa para essas peças.
Existem capas protetoras para estendê-las, mas estas já são conhecidas pelos shitagi dorobou.
Shitagi(roupa de baixo) + dorobou(ladrão)= ladrão de roupa de baixo.
Shitagi dorobou (em japonês) significa ladrões de calcinhas.

Acompanhe as novidades sobre o Japão, curtindo a >>>; fanpage.
Veja alguns eventos, inscrevendo-se no Canal >>> YouTube.

Comentários

Stefani Vaz disse…
Tô rindo até agora dos ladrões de calcinha. ahahaha

Gente, que coisa isso.

Esse post foi bem legal, eu nunca ia pensar como é estender roupas no Japão e em qualquer outro país. Tinha uma visão bastante limitada disso até agora.
Diana disse…
O meu futon está na sacada pegando um arzinho, já me adaptei á essa rotina dos japoneses. Tenho rinite e o sol no futon é essencial!
Você postou sobre esse contraste japonês, e acredita que hoje comentaram no meu blog que eu estava denigrindo a imagem do Japão postando uma imagem comparativa de Tokyo (que é como quem não vive no Japão pensa que ele todo é assim) e uma plantação de arroz (que é como nós que vivemos aqui vemos). Disseram que eu estava falando mau do Japão, coisa que ainda não fiz desde que cheguei aqui.
Leh disse…
Oi, Diana!

Procurei o post no seu blog e não li nada denegrindo a imagem do Japão. Tudo que vi estavam comprovados por fotos. Coisa de quem não tem o que fazer. De mais a mais todos sabem que existe uma enorme diferença e admiráveis, que é o que nós costumamos postar. Essas pessoas não entendem o que queremos dizer, ou até entendam, mas fazem pelo puro prazer de incomodar.
Obrigada, amiga, pela visita e comentário.
Bjo
Carlos Essei disse…
Nossa, saudades destes prédios. O da segunda foto eu vi construindo, hehehe
海子 Okasan disse…
Ah, ah, ah! Leh!
Estou morrendo de rir!

Gostei mesmo da historia que contou dos "shitagi dorobou":)

O que é certo é que eu gosto de ver a roupa a secar ao sol nos "varais"! É muito ecológico, pratico e natural♥

Ao diabo os regulamentos de condomínio!

Mais do que nunca, devemos utilizar essa fonte de energia natural e saudável.

O seu artigo é um artigo de mulher e eu gosto muito dele!
Um grande OBRIGADA e continue sempre de nos encantar com o que vêm os seus olhos nesse país onde o SOL nasce antes de se mostrar noutro sitio!
Beijos♥

Postagens mais visitadas deste blog

Onde doar roupas usadas no Japão

Dino Adventure, o Parque de Dinossauros de Nagoya

Ameixeira, cerejeira, pessegueiro, quais são as diferenças entre essas flores?

Yakudoshi, as idades consideradas perigosas no Japão

Shichifukujin, os 7 deuses da sorte do Japão

Lenda japonesa: A Tecelã de Nuvens

Ilha de Takeshima, em Gamagori, Aichi

Lenda urbana do Japão: garrafas pet com água repelem gatos

Guarda-chuvas da amizade, o empréstimo gratuito de guarda-chuvas no Japão

Festival de Tulipas de Nabana No Sato, Nagashima, Mie