O nome do blog "Vidasemvoltas" mudou para Japão Cultura e Turismo

Verão no Japão: ferryboat


Ferryboat - ou balsa - do Japão é mais que transporte.
É sinônimo de conforto! É desfrutar de um passeio muito agradável.
Pra quem nunca utilizou esse meio de transporte, vale a dica.


Feriado curto de Finados japonês - todo ano é assim, 3 a 4 dias apenas - , calor sugerindo praia e fugir do congestionamento nas vias expressas eram os desafios para escolher um destino e descansar.
Foi então que, pesquisando, encontrei Cabo Irago, dentre as 20 melhores praias do Japão.
Cabo Irago fica na península de Atsumi, mesma província que moro: Aichi.

No Japão, embora aparentemente tudo é perto, a viagem torna-se longa em épocas de feriadões. As vias expressas ficam muito congestionadas e, na maioria das vezes, dura o triplo do tempo desejado.


Contando com milhares de ilhas, as maiores - Honshu, Hokkaido , Kyushu e Shikoku - estão ligadas por pontes e túneis, porém muitas das pequenas só tem acesso por barco. Mesmo nas maiores - muito embora existam opções como trem, ônibus e avião - um passeio agradável e interessante são os ferryboat, ou balsas.

Muitas balsas transportam pessoas, veículos e carga. Em rotas curtas, são os pequenos navios que transportam uma quantidade pequena de carros e poucas pessoas. Nas rotas mais longas são utilizados navios maiores. Existem grandes balsas que carregam centenas de veículos e passageiros e são muito bem equipadas, algumas até com opções para banho e restaurante.

As balsas existem no arquipélago desde 1884. As primeiras balsas de carro surgiram em 1934, porém pequenas, transportavam um número pequeno.
Surgiram gradativamente até que passaram a operar os ferry para carros de luxo, destinados aos turistas.
Mas foi em 1970 que essas balsas estouraram, criando inúmeras rotas e, em 1975, esse sistema foi concluído.




Nessas rotas domésticas, incluem-se balsas que transportam apenas passageiros e, se for o caso, bicicletas pagando uma pequena taxa.
Claro que há rotas em que aviões ou trens - especialmente trem-bala - são bem mais rápidos.

Na rota que escolhi, com destino ao Cabo Irago, fiz o percurso da Península de Chita à Península de Atsumi. As duas penínsulas ficam na Baía de Mikawa, sul da província de Aichi.


Como em qualquer ponto de partida, esses portos são preparados para qualquer tipo de passageiro, seja para os que vem de trem, ônibus ou carro.


Se preferir deixar o carro há um estacionamento. Existe ferryboat que conduz somente passageiros, portanto também mais barato.


Em ambos os casos é necessário adquirir ticket. Se for de carro, leve o documento para adquirir o ticket. O item importante é o tamanho e peso do carro.
Os preços também variam. Não é tão barato, de carro sai quase três vezes mais caro que os pedágios pelos quais teria que pagar, usando cartão da ETC.

Fila para os carros. Os passageiros também seguem junto. Somente depois do embarque, são gentilmente convidados para seguirem aos andares superiores.

Para embarcar somente passageiros, uma outra fila

E um outro tipo de barco, também confortável


No interior do ferryboat de carros, onde os passageiros devem permanecer nas alas acima.
Em área externa , no pavimento logo acima



Ou interna, em ambiente agradável, climatizado


Ala superior totalmente ao ar livre, com a mais bela vista


Na foto abaixo, infelizmente não aproximei, mas era possível visualizar a usina eólica


E pra variar, não fotografei, mas o incrível tratamento dos funcionários, na saída do ferry. O habitual cumprimento, com gestos de reverências em agradecimento aos clientes.

Finalmente o destino


Um passeio simples, mas encantador.
Já visitei Kyoto, Tóquio (encantadora Odaiba), Fukui, e algumas outras, cada uma delas tem suas particularidades, mas este foi um dos melhores momentos.
Confirmando a velha e verdadeira frase de que o prazer está nas pequenas coisas, em pequenos momentos.

Comentários

Stefani Vaz disse…
Linda a praia!
O passeio deve ter te feito um bem danado, boas energias e tudo mais.

Quero ler o próximo post, mas espero que tenha tirado fotos do "sea of sunflowers". Eu acho maravilhoso plantações de girassóis!

Aliás, eu vi uma foto linda no Asahi Shimbun de uma plantação de girassóis em Hiroshima.

Ah, uma última coisa: o vídeo ficou bem legal. =]
Olá!Boa noite!
Tudo bem por ai?
Leh!
Muito calor né não?
Até o ferryboat é chique! Deve ter sido um passeio interessante!Creio que nessas regiões que você mencionou, não tenha nenhum parente!
Mas já ouvi falar do Cabo Irago!
Bela postagem!Vou aguardar a próxima!
ah...as fotos estão lindas!
Obrigado!
Boa semana!
Beijos
Leninha disse…
Oi amiga Leh,

É muito bom viajar com você, neste ferryboat maravilhoso, por este mar tão azul e com este calor gostoso.
Já viajei de balsa, no Triângulo Mineiro, atravessando o Rio Grande, do Estado de Minas para o Estado de São Paulo...era uma balsa conduzindo carros e pessoas, adorei, uma delícia de passeio.

Quanto às fotos do bebê, não cosegui postá-las, pois o formato das mesmas não foi aceito pelo blogger...tentarei outras depois.

Fiquei feliz com o seu comentário, amiga.

Bjssssss,
Leninha
Bia Hain disse…
Oi, Leh, Moro próximo ao litoral e por aqui as balsas também são usadas. Um ótimo passeio, sem dúvida. Um abraço!
Ilca Santos disse…
Minha querida Leh,
Que maravilha de postagem! Vir aqui é absorver conhecimentos, encantar os olhos e alegrar o coração com suas belas imagens!
Adorei, amiga! Obrigada por tão linda partilha!

Feliz por sua visita e carinho, suas palavras são um bálsamo para mim! Agradeço de coração!
Que Deus ilumine cada vez mais o seu caminhar!
Um beijo com imenso carinho.
Suely Poubel disse…
Boa tarde amiga Leh, que delícia esse passeio de ferryboat, linda e confortável a parte interna, o visual...belíssimo, e finalmente o destino...o paraíso, maravilhoso! bjnhos.

Postagens mais visitadas deste blog

Onde doar roupas usadas no Japão

Ameixeira, cerejeira, pessegueiro, quais são as diferenças entre essas flores?

Dino Adventure, o Parque de Dinossauros de Nagoya

Lenda japonesa: A Tecelã de Nuvens

Yakudoshi, as idades consideradas perigosas no Japão

Lenda urbana do Japão: garrafas pet com água repelem gatos

A arte contada em arte, por Lucille Kanzawa

Shichifukujin, os 7 deuses da sorte do Japão

Guarda-chuvas da amizade, o empréstimo gratuito de guarda-chuvas no Japão

Ilha de Takeshima, em Gamagori, Aichi