O nome do blog "Vidasemvoltas" mudou para Japão Cultura e Turismo

Casamentos japoneses: tradições, costumes e o "San san kudo"

Lembrei-me de um casamento que fomos, quando ainda era criança e fui escolhida para participar de um ritual que vim presenciar somente aqui no Japão.
O casamento - que era de descendentes nipônicos no Brasil - estava sendo realizado na casa da noiva. Sem entender muito, entregaram-me uma espécie de jarra (chique) com saquê e pediram para que eu servisse em 3 pequenas doses em tigelas ou taças como estas:
Lembro que na cerimônia, os noivos estavam sentados e tomavam em 3 pequenos goles.
Sabendo hoje do que se tratava a cerimônia, resolvi compartilhar alguns dos rituais e costumes em casamentos japoneses.
Este ritual tem a seguinte explicação: é uma tradição milenar japonesa de voto matrimonial, compartilhando suas vidas na mesma taça, chamada sansankudo, troca de copos nupciais.
As três taças, em três tamanhos diferentes, são levadas aos noivos, uma de cada vez.
Cada taça é usada três vezes, alternadamente, na sequência: a primeira taça é usada pelo noivo, depois pela noiva, e novamente por ele. A segunda taça é levada à noiva, depois pelo noivo e novamente pela noiva. A terceira é usada pelo noivo, depois pela noiva e novamente pelo noivo.
O saquê tem um ritual ao servir: fazem duas menções e na terceira é despejado uma pequena quantidade.
Os noivos também fazem menção de beber duas vezes - ou seja, apenas levam à boca, sem tomar - e só na terceira tomam todo o saquê, ou champanhe, a critério dos noivos.

No vídeo, sansankudo em cerimônia xintoísta:

No xintoísmo, somente jovens donzelas podem servir no sansankudo.

Sansankudo em cerimônia de casamento budista:

A primeira taça significa juramento a Deus, a segunda significa gratidão aos pais e familiares e a terceira é dedicada às pessoas que vão conviver com o casal.
Diversas são as teorias sobre as taças em tamanhos diferentes no ritual san san kudo; uma delas é que a grande - daisakazuki - simboliza a terra; a média - chusakazuki - o céu, e a menor - kosakazuki - a causa sagrada.
Uma outra teoria diz que a taça pequena representa o passado, um agradecimento aos antepassados para a continuidade dos noivos. A média representa a corrente, a força para que o casal possa viver unido para sempre. A maior representa o futuro, esperança da fertilidade e paz da família.
O saquê simboliza carinho e obediência durante a vida de casados.
As três taças levadas três vezes, vem da teoria de Ying e Yang da China Antiga de que número ímpar traz sorte.

Cortejo e cerimônia


O Japão é um país predominantemente xintoísta e budista. O cristianismo soma menos de 2% e as cerimônias dos casamentos se dividem em 2 estilos: xintoísta e ocidentalizado.
Cercado de tradições, muitos casais ainda hoje são adeptos ao estilo tradicional.

Se por acaso, aqui no Japão, deparar com esta cena, saiba: é um casamento.
 Cortejo de casamento, Santuário Meiji, em Tóquio.
O cortejo nupcial tem todo um clima solene, como em qualquer religião.
No Japão, os trajes tradicionais e modernos se misturam.
Abaixo, no santuário Atsuta, de Nagoya.
Essas cenas são bem comuns em grandes santuários.
No Santuário Atsuta é possível até assistir aos casamentos.
No altar sagrado, todos sobem descalços. 
A cerimônia é feita pelo monge budista ou sacerdote xintoísta, que abençoa os noivos, além do ritual de purificação.
As noivas vestem quimonos ou vestidos de gala em estilo ocidental e chegam a trocar de vestido umas quatro vezes; os noivos usam hakama ou terno preto.

Fotografias


A tradicional fotografía deve ser impecável. Fotógrafos são minuciosos quanto à postura, maquiagem e se preocupam com cada detalhe.


 Como em qualquer lugar do mundo, os noivos também escolhem belas paisagens para fotografias, no importante momento de suas vidas

Recepção - Festa e presentes


Após a cerimônia, os noivos trocam de roupas e a noiva veste um quimono vermelho e depois, na maioria das vezes, o tradicional vestido de noiva ocidentalizado na recepção.
São poucos os convidados para estas cerimônias que são restritas aos empregadores, família e poucos amigos.
A realização do casamento tem custo muito alto e muitos entregam às agências, que se encarregam de todos os detalhes do começo ao fim.
Os presentes são entregues na recepção, em uma mesa colocada para esse fim.
Os japoneses tem o hábito de presentear com dinheiro e são colocados em envelopes específicos que tem laços com as tiras para cima, nas cores brancas, vermelhas ou douradas e prateadas.
Coloca-se o nome no envelope e a regra é que use pincel para escrever e não é de bom tom escrever com caneta simples.
As notas devem ser novas, e obedecem valores:
- amigos: 30 mil - parentes 50 mil - padrinhos - 100 mil, sempre em quantidades ímpares de notas.

Na recepção, os convidados tem lugar determinado para sentar.
Discursos são importantes nos casamentos japoneses. Na recepção, os pais e padrinhos discursam desejando felicidades aos noivos e no final, agradecimentos a todos.
Todas as festas, qualquer que seja no Japão, tem horário estabelecido e os casamentos não são diferentes. Geralmente, depois de quatro horas os convidados se retiram.

Realização de cerimônias


As cerimônias são realizadas em igrejas, templos, casas, buffets e salões. Na era da bolha, os casais faziam suas cerimônias em resorts e locais exóticos como Okinawa e hotéis luxuosos. Depois do colapso da bolha, as cerimônias simplificaram.
Uma estatística do governo, segundo sites japoneses que pesquisei, diz que em torno de 60% dos casais preferem casar em capelas.
Os noivos mais modernos seguem os trajes comuns, como vestido de noiva tradicional ocidental e terno preto para os noivos.
É comum encontrar construções semelhantes às igrejas (acima) ou capelas (abaixo) como estas, alugadas e utilizadas exclusivamente para realização de casamentos, sem envolver cristianismo.

Com salão pra festas, espaços para fotos, em grande estilo, como os ocidentais.


No Japão existem sim, muitas igrejas cristãs católicas, evangélicas, espíritas no Japão frequentadas por japoneses e/ou brasileiros. Nos casos acima, são apenas fachadas e os casamentos são feitos como as cerimônias civis brasileiras, sem bênçãos.

Cerimônia de casamento - Santuário Meiji


Veja em YouTube, este vídeo em HD


Comentários

Helena ,
adorei as explicações sobre os casamentos japones . Deve ser um ritual muito bonito .

Eu me casei em um templo de origem japonesa . A cerimônia foi bem mais simples , mas também teve o ritual do saquê em 3 tigelas . Foi muito bonita .

abs
Francisco
Silvana Marmo disse…
Olá Leh,
Comentei agora a pouco minha paixão à cultura oriental no blog da Rose.
Gostei muito do casamento tanto as fotos quanto os videos são lindos.
Participei uma vez de um funeral oriental e pude observar que eles deixam um envelope com dinheiro e depois a familia manda toalha de rosto.
Nunca soube o significado, mas achei muito interessante.
Meu carinho
Charles Netto disse…
Parabéns pelo post e penso serem nas fotos e nos vídeo uma demonstração real da verdadeira felicidade para que também sirva de um bom exemplo para os jovens nos dias de hoje, pois casamento é algo muito sério além de um compromisso assumido um com o outro e ainda mais se tiverem as ricas Bênçãos de Deus.
Muito boa sua matéria, aprendi mais sobre a cultura orienta, as fotos são muito boas e os vídeos completam sua excelente matéria.
BFS
Abraços forte
Silvia disse…
Excelente matéria!
Cheguei a participar de algumas cerimônias de casamento aqui no Japão e apanhei muito com as regras de etiqueta, rs!
AmoJoias disse…
Oiii
Fantástico!!! ameiii que detalhes! que beleza! quero um parecido!!!
bjinhus

Postagens mais visitadas deste blog

Onde doar roupas usadas no Japão

Ameixeira, cerejeira, pessegueiro, quais são as diferenças entre essas flores?

Dino Adventure, o Parque de Dinossauros de Nagoya

Yakudoshi, as idades consideradas perigosas no Japão

Lenda japonesa: A Tecelã de Nuvens

A arte contada em arte, por Lucille Kanzawa

Shichifukujin, os 7 deuses da sorte do Japão

Guarda-chuvas da amizade, o empréstimo gratuito de guarda-chuvas no Japão

Ilha de Takeshima, em Gamagori, Aichi

Lenda urbana do Japão: garrafas pet com água repelem gatos