O nome do blog "Vidasemvoltas" mudou para Japão Cultura e Turismo

Alguns brasileiros na sociedade japonesa

Amigos,

hoje vou postar uma opinião minha!

É uma opinião sobre diversos acontecimentos ruins, praticados por brasileiros nesta maravilhosa ilha, de gente ordeira, pacífica e honesta.

Vou deixar claro que ao mencionar brasileiros, estou me referindo a todos os que nasceram no Brasil, com traços e descendência orientais. Afinal, aqui no Japão, qualquer pessoa nascida no Brasil, inclusive eu, que sou nissei. pareça e seja chamada no Brasil de japonesa é brasileiro!

Não sou socióloga, nem antrópologa, muito menos psicóloga.... e nenhuma terminação óloga.
Também não vou citar os inúmeros benefícios que o governo tem oferecido aos estrangeiros. Não vou citar também como é a vida, costumes, coleta de lixo, leis, posso mais à frente postar algo individualmente.

A realidade é que não precisamos muito para analisar situações constrangedoras que determinados brasileiros fazem neste país.

Sou uma dekassegui honesta, cumpro com minhas obrigações morais e financeiras, rigorosamente, nesta ilha. Vim até aqui, porque o Japão deu oportunidade aos brasileiros descendentes de japoneses até a terceira geração, e seus cônjuges.

Vim pra cá, sabendo pouco da cultura japonesa, mas o suficiente para saber que é um povo ordeiro e honesto. O Japão tem um povo consciente das obrigações, desde a organização do lixo até as mais complexas atividades. Apesar de não muito hoje em dia, mas os japoneses ainda fazem créditos aos estrangeiros, com base na honestidade, talvez com alguns pequenos critérios a mais, o que não está errado, pois um estrangeiro pode ir embora a qualquer momento.

O povo japonês é tradicional e extremamente preconceituoso, isso foi possível perceber através de nossos antepassados, que há muitos anos atrás não permitiam que casassem com "gaijin", que significa estrangeiro, quando na verdade estrangeiros eram eles.

Quando a crise explodiu, muitos brasileiros que perderam seus empregos, resolveram voltar ao Brasil. Anúncios de vendas e doações de pertences pipocaram pela net. Muitos levaram vantagens comprando muito barato ou ganhando móveis e até veículos que não conseguiam ser vendidos.

Como era crise, ninguém tinha dinheiro ou quem tinha estava precavido e não gastava sem necessidade.

O lixo é separado em queimável e não-queimável, plásticos, metais, pet, vidros, eletrodomésticos e objetos de grande porte nas datas corretas e em locais próprios...

A solução para muitos foi essa....


Objetos de grande porte que tem locais próprios e obedece a algumas exigências, dependendo da cidade, foram abandonados em local destinado ao lixo queimável. Veja a placa...



Como vê, deixaram um aviso, também em português



Veículos também foram abandonados em aeroportos, para evitar despesa para amassar o carro e livrar-se de impostos.

Além de vários crimes e roubos cometidos por brasileiros, a pior de todas e está repercutindo de maneira extremamente negativa vou mostrar a seguir.

Tudo começou assim....

Com uma notícia de um acidente em Nagoya, três mortos, testemunhas disseram parecer estrangeiros. A nota aparece aqui



E a suspeita confirmada, veja a nota na mídia brasileira



Um dos envolvidos se apresenta à policia, leia aqui



A policia já sabe o nome do motorista do veículo atropelador e a foto divulgada, nesta matéria



Finalmente, o motorista do veículo é preso. Leia aqui



E mais essa novidade... Sem habilitação!!!!



E claro! Isso repercutiu em toda a mídia



Finalmente, o quarto preso. Veja aqui




Cada vez mais, os brasileiros no Japão estão conquistando seus espaços no Japão. Muitos tornaram-se imigrantes, devido à tranquilidade que existe neste país.
O governo japonês tem-se sensibilizado muito com as questões do desemprego na comunidade brasileira e muita coisa foi feita.

Um país cujo índice de criminalidade e violência no trânsito é quase nulo.
Afinal é um país culto, existe seriedade, respeito pela lei e pela ordem.
As leis são rígidas e se cumprem.
A polícia não é corrupta, por isso investigam e localizam suspeitos com agilidade, com provas incontestáveis, pois são minuciosas e só as apresentam com absoluta certeza.
O Japão simplesmente não aceita o uso ou tráfico de drogas e a lei é obedecida. Quem não se lembra da proibição para Maradona entrar no Japão, em 2002?

Bem, agora imaginem o caso acima dos brasileiros que estavam em um carro roubado e fugindo da polícia? Contando com a sorte da cancela da linha de trem que fechou para os policiais na perseguição, o azar faz um carro cruzar à frente e matar três.
Crime é crime. Já começou tudo errado. Desde o roubo que parecia estar impune e fugir da polícia. Pior de tudo, matar três!!!! E fugir!!!

Infelizmente, depois disso muita coisa já começou a fluir negativamente.
Há uma proposta de voto para estrangeiros com a maioria dos japoneses contra...

Toda a comunidade brasileira está se manifestando contra esses elementos que vem mais ainda aumentar o preconceito que já existe contra nós, brasileiros.
Mas não é só por isso... são vidas! Vidas que foram ceifadas por elementos que agora estão chorando nas entrevistas, fazendo-se de vítimas. Falam agora de suas famílias... E as famílias das vítimas?
Então por que fugiram? Por que alguém mandou?
A consciência e a boa índole não se demonstra depois de alguns dias....
A boa vontade deveria, pelo menos, ser mostrada ali, naquele momento em que atropelaram as pessoas que nada tinham a ver com o caso.
Eram pessoas que poderiam ser alguém da família deles...
Se uma coisa dessas acontecesse no Brasil, cometido por japoneses, a revolta seria a mesma.
O que está em jogo não é a nacionalidade, mas o ato em si e que seguramente vem causar reflexos em toda comunidade brasileira. Ato vil cometido por 4 elementos que vão influenciar na vida de mais ou menos 250 mil brasileiros honestos e trabalhadores.
Não estou julgando ninguém, é a opinião dos brasileiros que batalham muito.
O cerco já começou e a polícia já está sendo mais rigorosa, principalmente com os brasileiros.
As blitz, tão pouco feitas por aqui, também começaram.


Finalmente, vou transcrever uma carta de uma mãe para a mãe de um presidiário:

Carta enviada de uma mãe para outra mãe em SP, após noticiário na TV:

DE MÃE PARA MÃE:
Vi seu enérgico protesto diante das câmeras de televisão contra a transferência do seu filho, menor infrator, das dependências da FEBEM em São Paulo para outra dependência da FEBEM no interior do Estado.
Vi você se queixando da distância que agora a separa do seu filho, das dificuldades e das despesas que passou a ter para visitá-lo, bem como de outros inconvenientes decorrentes daquela transferência.
Vi também toda a cobertura que a mídia deu para o fato, assim como vi que não só você, mas igualmente outras mães na mesma situação que você, contam com o apoio de Comissões Pastorais, Órgãos e Entidades de Defesa de Direitos Humanos, ONGs, etc...
Eu também sou mãe e, assim, bem posso compreender seu protesto.
Quero com ele fazer coro.
Enorme é a distância que me separa do meu filho.
Trabalhando e ganhando pouco, idênticas são as dificuldades e as despesas que tenho para visitá-lo. Com muito sacrifício, só posso fazê-lo aos domingos porque labuto, inclusive aos sábados, para auxiliar no sustento e educação do resto da família...
Felizmente conto com o meu inseparável companheiro, que
desempenha para mim importante papel de amigo e conselheiro espiritual.
Se você ainda não sabe, sou a mãe daquele jovem que o seu filho matou estupidamente num assalto a uma vídeo-locadora, onde ele, meu filho, trabalhava durante o dia para pagar os estudos à noite.
No próximo domingo, quando você estiver abraçando, beijando e fazendo carícias no seu filho, eu estarei visitando o meu e depositando flores no seu humilde túmulo, num cemitério da periferia de São Paulo....
Ah! Ia me esquecendo: e também ganhando pouco e sustentando a casa, pode ficar tranqüila, viu, que eu estarei pagando de novo, o colchão que seu querido filho queimou lá na última rebelião da Febem.
Nem no cemitério, nem na minha casa, NUNCA apareceu nenhum representante destas "Entidades" que tanto lhe confortam, para me dar uma palavra de conforto, e talvez me indicar "Os meus direitos"!

Comentários

Excelente esse post!
A questão do lixo, da falta de educação, até mesmo de civilidade em grande parte de brasileiros realmente comprometem a questão da nossa imagem.

Que classe de cidadão somos, então?
Aqui onde moro inúmeras casas foram abandonadas cheias de lixo, até com animais de estimação mortos. Não são todos, já que a maioria dos brasileiros aqui é honesta e esforçada. Mas essa minoria consegue acabar com a nossa imagem, reforçando ainda mais o preconceito.

Triste
Vou linkar esse post, achei muito bom.
Carlo disse…
Houve uma época que uma enorme revolta era pouco para o que sentia deste pessoal que não sabe respeitar a casa dos outros. É realmente uma pena isto estar acontecendo.
[]'s
http://hime-pink.blogspot.com/ disse…
Infelismente é a realidade humana, existem maus elementos de toda e qualquer nacionalidade.
Com certeza quando acontece um crime envolvendo estrangeiros seja lá de que País ele for a repercussão é bem maior na mídia em que o fato ocorreu.

Postagens mais visitadas deste blog

Onde doar roupas usadas no Japão

Ameixeira, cerejeira, pessegueiro, quais são as diferenças entre essas flores?

Dino Adventure, o Parque de Dinossauros de Nagoya

Yakudoshi, as idades consideradas perigosas no Japão

Lenda japonesa: A Tecelã de Nuvens

A arte contada em arte, por Lucille Kanzawa

Shichifukujin, os 7 deuses da sorte do Japão

Guarda-chuvas da amizade, o empréstimo gratuito de guarda-chuvas no Japão

Ilha de Takeshima, em Gamagori, Aichi

Lenda urbana do Japão: garrafas pet com água repelem gatos