O nome do blog "Vidasemvoltas" mudou para Japão Cultura e Turismo

Caridade sempre!


Mesmo não havendo crise, em qualquer lugar do mundo, até em países desenvolvidos existirá pobreza. Seja ela material, temporária até...
Em tempos de crise, a realidade da pobreza aumenta.




Japão não é diferente! Não vemos pedintes nas ruas, mas próximas às estações é possível visualizar os sem-teto japoneses, os chamados homeless.
Eles não são maltrapilhos, muitos deles tem família. O governo dá ajuda aos que estão em situação mais crítica, chamada de auxilio-subsistência, que não pedem por vergonha, uma característica dos japoneses.

Moram em barracas, em praças ou embaixo de pontes e seus pertences são mínimos. Muitos são homeless temporários. Tem como ocupação catar latinhas.

Homeless é um termo que os japoneses usam para os chamados sem-teto, traduzido do idioma inglês.

Contrastando com a beleza imponente da megalópole Nagoya, numa noite fria de domingo, aos fundos da mais famosa estação, uma fila à espera de doação de roupas. Este é um trabalho feito por japoneses.



Aos sábados à noite, dois grupos revezam um sopão que é doado aos homeless, maioria japoneses. É possível contar ocidentais que ali aparecem, um ou dois.

Uma fila extensa forma-se à espera.

Faça chuva, sol ou neve, para quem tem a caridade como lema nada disso é empecilho para praticar.

Os homeless formam filas esperando a caridade de 2 grupos brasileiros, Núcleo Espírita Cristão de Toki-shi e Ichinomiya-shi (Laços Eternos).
Voluntários anônimos, sem nenhum interesse, que não se destacam na mídia (quando são citados ficam ocultos) e fazem questão de não aparecerem, em nome da caridade. São grupos espiritas, formados pela maioria e coordenada por brasileiros. Dois ex-homeless também fazem parte de um dos grupos.

O vídeo abaixo(que foi gravada em celular) foi virada por discrição. A preocupação aqui é apenas mostrar o tamanho da fila que se formou no último sábado, muito grande!



Fiz como foi solicitado, não identificá-los, borrando rostos, com o intuito de mostrar somente o tamanho da fila.

Este sopão é uma prática antiga de 2 grupos Espírita Cristão, no Japão, que revezam os sábados e distribuídos em uma praça de Sakae, em Nagoya.
Existe outro sopão distribuído por japoneses em outra praça, também aos sábados.

O trabalho começa bem cedo, nas manhãs de sábado. São todos voluntários, muitos saem de outras províncias distantes, adultos que levam seus filhos, moças e rapazes jovens que também levantam cedo para dar a sua contribuição. Alguns pais levam seus filhos pequenos, que acabam ajudando também. Um trabalho digno e merecedor de honras, pois é um ambiente acolhedor, de muito amor e companheirismo, onde se vê iniciativa e participação de todos.
Muito serviço desde a preparação, separação de ingredientes, cozinhando e embalando. Segue-se a limpeza do local e depois de uma dia inteiro, alimentos, roupas e, nesta época, kits de inverno, são transportados até Nagoya, viagem em torno de 1 hora.

Tudo é feito a partir de doações, seja de voluntários ou não.

Esta prática tem como base o Evangelho e a caridade:

“FORA DA CARIDADE NÃO HÁ SALVAÇÃO”

Nestas ilhas, já há muitos anos, existem muitos grupos formados por brasileiros que distribuem sopão. Do mesmo grupo espírita, em Tóquio, e em Hamamatsu, o Grupo Esperança, da Igreja Católica. Em Aichi, muitos grupos evangélicos trabalham em prol da caridade, fazendo o bem sem olhar a quem. Não há distinção de raça quando o princípio é a caridade.

Muitos japoneses sabem que o brasileiro é muito solidário estando em qualquer país do mundo. É possível sentir o carinho desses homeless para com os brasileiros.

Enfim, esta é uma das coisas que nestas ilhas tenho o maior orgulho!

Comentários

O problema do homeless aqui no Japão é que o governo dá ajuda-subsistência. Aqui na cidade que moro há inclusive apartamentos vagos para homeless.
Em contrapartida o governo exige disciplina: tratamento para abandono do álcool e trabalho (via Hello Work). Muitos não querem se submeter a disciplina, principalmente no que diz respeito a bebida. Preferem continuar nas ruas, porque geralmente o trabalho vai ser ruim/pesado e fala alto o vício.

Aumentaram muito os casos dos homeless com essa crise. Triste
Que legal a solidariedade, mais deve ser como aqui, eles ou a maioria preferem viver assim sem responsabilidade,e regras.
Abraços forte
Leh disse…
Alexandre, Príncipe:

infelizmente eles irão existir, seja lá por qual motivo, talvez até fraqueza espiritual, impotência diante da vida... vários motivos que deveriam ser cortadas pela raiz.
Mas como não é possível, vamos fazer a nossa parte.
Obrigada pelos comentários!
Abraços

Postagens mais visitadas deste blog

Onde doar roupas usadas no Japão

Ameixeira, cerejeira, pessegueiro, quais são as diferenças entre essas flores?

Dino Adventure, o Parque de Dinossauros de Nagoya

Lenda japonesa: A Tecelã de Nuvens

Yakudoshi, as idades consideradas perigosas no Japão

Lenda urbana do Japão: garrafas pet com água repelem gatos

A arte contada em arte, por Lucille Kanzawa

Shichifukujin, os 7 deuses da sorte do Japão

Guarda-chuvas da amizade, o empréstimo gratuito de guarda-chuvas no Japão

Ilha de Takeshima, em Gamagori, Aichi