Última postagem

A história dos dekasseguis

Nos anos 80, com a recessão econômica no Brasil, o Japão necessitando suprir carência de mão e as empresas japonesas passando a contar com os estrangeiros, ocorreu um aumento no número de ilegais no país, vindos dos países asiáticos como a Coréia do Sul, China, Bangladesh, Filipinas, Paquistão e Tailândia, recrutados pelas empresas de turismo ou aliciados por intermediários.

Entre 1985 e 1990, a emigração era mal vista e feita de forma irregular.

Em 1990, uma reforma na lei japonesa permitiu a legalização em até 3 anos para nisseis e de 1 ano para sanseis

Em 1993, uma lei derrubou a Lei da Ilegalidade das empresas agenciadoras da mão de obra e, até então, o número de dekasseguis cresceu. Veio a crise de 1998, que envolveu os países asiáticos, e esse número caiu, voltando a crescer em 2000.

Apesar da situação trabalhista deficiente da fase inicial , hoje os nikkeis estão adaptando-se à vida empregatícia, os salários recebidos no Japão na conversão para o dólar, ganha-se ainda mais do que o salário brasileiro em ocupações mais qualificadas.

Embora os primeiros dekasseguis tivessem encontrado muito mais dificuldades, além da adaptação e do preconceito (inegável!), tiveram seus hábitos abruptamente mudados, encontrando um povo com uma cultura, comportamento e costumes totalmente diferentes, tendo seus hábitos, alimentação forçadamente trocados dentro dos padrões japoneses, além do que se imaginava. O fato diferente são as facilidades que o brasileiro, hoje em dia, encontra no Japão, tais como sistemas de telefonia, não obstante a net, que facilitou invariavelmente a comunicação para com seus entes queridos distantes.
Hoje ainda encontram lojas de todos os tipos de artigos brasileiros, desde alimentação, vestuário, e os japoneses já sinalizam estações, locais de coleta de lixo em portugues.

Os brasileiros já tem uma vida social local e até fixando-se, com maior aceitação tanto dos japoneses do Japão, como dos brasileiros no Brasil. Embora ainda mantenham um relacionamento supérfluo com os japoneses.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Onde doar roupas usadas no Japão

Dino Adventure, o Parque de Dinossauros de Nagoya

Ameixeira, cerejeira, pessegueiro, quais são as diferenças entre essas flores?

Yakudoshi, as idades consideradas perigosas no Japão

Shichifukujin, os 7 deuses da sorte do Japão

Lenda japonesa: A Tecelã de Nuvens

Ilha de Takeshima, em Gamagori, Aichi

Lenda urbana do Japão: garrafas pet com água repelem gatos

Guarda-chuvas da amizade, o empréstimo gratuito de guarda-chuvas no Japão

Festival de Tulipas de Nabana No Sato, Nagashima, Mie